Página 1
1
Padrão

NervoChaos e ColdBlood em Feira de Santana

Nervochaos e Cold Blood, duas das mais tradicionais bandas brasileiras de Death Metal, passarão por Feira de Santana no mês de julho. O evento é promovido pelo ThunderGod Zine e pelo Feira Coletivo.

2

            Em expressiva turnê nacional, o Nervochaos percorrerá 65 cidades de vários estados e regiões, com o objetivo de lançar Nyctophilia (2017), o recente álbum da banda, que há mais de duas décadas dedica-se ao Death Metal. Apesar de profundas mudanças na formação, o Nervochaos soube manter – e até mesmo incrementar, poder-se-ia dizer – a atmosfera agressiva e bestial do seu som. Os apreciadores do estilo poderão conferir de perto o resultado do obscuro e mortífero oitavo álbum desta tradicional banda paulistana, bem como, certamente, terão a oportunidade de bater cabeça ao som de clássicos oriundos dos trabalhos anteriores. Conhecido mundialmente, o Nervochaos já tocou em diversos países, e fará neste evento a sua segunda apresentação em Feira, depois de mais de dez anos.

            Estreando em terras feirenses, e acompanhando o Nervochaos na gigantesca turnê, se apresentará no mesmo dia outro importante nome do Death Metal brasileiro: Coldblood. A banda, fundada em 1992, é reconhecida pela atmosfera satânica de suas composições rápidas e letais, e impressiona pela carga sonora que é produzida pela exígua formação. Voz, guitarra e bateria, executadas pelos dois integrantes, Markus Couttinho e Diego Mercadante, se convertem em poderosos meios de profanação, com uma sonoridade marcante e original, que faz o apreciador do metal da morte se sentir em casa. O último disco, Indescribable Physiognomy of the Devil (2017), é uma prova de que o dueto carioca encontra-se em grande forma.

Serviço

Quem: Nervochaos e Coldblood

Quando: Terça, 25 de julho de 2017, a partir das 21h.

Onde: Offsina

Quanto: R$ 15,00

 

calafrio
Padrão

Feira Coletivo Cultural promove primeira edição do Fervura Feira Noise 2017

calafrio

Circo de Marvin, Dona Cislene e Calafrio sobem ao palco do Botekim no próximo sábado

Vai começar o aquecimento para um dos maiores festivais de artes integradas do Norte / Nordeste. No próximo sábado (8), a partir das 21 horas, no Botekim Tematic, o Feira Coletivo Cultural promove o primeiro Fervura Feira Noise de 2017.

Três atrações vão agitar o evento, a banda baiana Circo de Marvin, que está de malas prontas para uma nova empreitada na carreira, a galera da Dona Cislene, de Brasília, e o grupo feirense Calafrio.

Circo de Marvin

De volta a Feira de Santana, depois de uma super apresentação, que enlouqueceu o público, há pouco menos de um ano, e antes de se mudar para São Paulo em busca de outros horizontes, a Circo de Marvin promete um show em “Modo Hard”.

Fundada em 2012, a banda já teve a oportunidade de tocar em eventos como Festival de Verão, Festival de Inverno Bahia e Rock Concha, além de abrir shows para Titãs, Raimundos e CPM22.

Dona Cislene

Pela primeira em Feira, o quarteto brasiliense Dona Cislene traz na bagagem as boas avaliações da crítica especializada e do público com relação ao álbum “Meninos e Leões”, lançado em abril deste ano.

Em oito anos de história, a banda é super consolidada no cenário underground de Brasília e já teve a oportunidade de rodar por vários estados como São Paulo, Minas Gerais, Santa Catarina, Paraná, Goiás, Rio de Janeiro e Rio Grande do Norte.

Calafrio

Uma das bandas mais importantes do universo rock de Feira de Santana e do interior da Bahia, com mais de uma década de trajetória, a Calafrio se apresenta no Fervura depois de um show marcante no festival Rockcambo In Conexão no primeiro semestre deste ano.

Com riffs e letras marcantes, a banda costuma levar bons públicos aos eventos dos quais participa, com fãs que curtem e se envolvem com os shows. A formação atual conta com Pedro Patrocínio – guitarra e vocal, Siddhartha Gautama – vocal e guitarra, Robson Sousa – bateria e Bruno Mendes – baixo.

SERVIÇO

O QUE: Fervura Feira Noise
QUEM: Circo de Marvin, Dona Cislene e Calafrio
QUANDO: Sábado, 8 de julho, a partir das 21 horas
ONDE: Botekim Tematic Bar – Avenida João Durval Carneiro, nº2963 – Feira de Santana
QUANTO: Ingressos antecipados R$ 15,00 e no dia do evento: R$ 25,00
PRA SABER MAISwww.facebook.com/feiracoletivo

 

Padrão

Legalize It: Da Jamaica ao Portal do Sertão

 

13235431_1128588120526807_1574410250048045934_o O Feira Coletivo Cultural traz mais uma vez a Feira de Santana a cantora e compositora paulista Anelis Assumpção, no próximo dia 2 de junho. É o seu retorno à cidade, aonde viera para o debute em 2015 e agora regressa com um novo show, uma temática diferente e a expectativa de uma grande noite.

Não dá para restringir a sonoridade de Anelis Assumpção a algum gênero imediato. Ela faz música contemporânea, algo bastante abrangente. Como se fosse uma nova música popular brasileira. Tem uma voz segura, ao mesmo tempo suave, além de forte. Dessa maneira ela canta o amor, expressa a individualidade, explana o tempo e entoa o nós. Agora a cantora e sua banda trará para Feira de Santana uma novidade, diferente do seu tradicional show intitulado de “Anelis Assumpção e os Amigos Imaginários”. Nesse novo projeto a intenção é evidenciar sua forte influência da música jamaicana em suas composições, fazendo uma viagem no conceituado disco “Legalize It”, o primeiro álbum solo do lendário cantor Peter Tosh.

O disco completará 40 anos de seu lançamento. A ideia dessa temática é fazer uma grande celebração ao reggae, que nesse período de impulso do “Legalize It” tivera um momento especial para sua efervescência artística, quando Tosh e outros ícones do gênero lançaram álbuns emblemáticos e que contribuíram para a ascensão e escalada dos sons jamaicanos pelo mundo.

O “Legalize It” mostra a juventude de Peter Tosh, cheio de preocupações sociais e políticas, ao mesmo tempo brincalhão e alegre, tentando propagar a sua mensagem. Um álbum que tem sua riqueza juntamente com sua diversidade. É um dos mais brilhantes registros do reggae em toda história. Assim Anelis Assumpção irá traduzir toda essa memória com sua voz impecável e que remeterá numa noite imperdível para os fãs da cultura jamaicana. O evento irá acontecer no Teatro Margarida Ribeiro, nos Capuchinhos, a partir das 20:00 horas, dia 2 de junho e o ingresso custará R$20,00.

Por Murillo Campos

 

Padrão

A Sexta Black e o retorno às pistas de dança

Uma ideia diferente era proposta pelo Feira Coletivo em 2014. Nesse projeto havia a chance de evidenciar e abrir espaço para gêneros que estavam efervescendo na cidade e necessitariam de ambientes para fomentar suas expressões. O rap falado, cantado e vertentes como o hip hop, ritmos como o ragga, o dub, o dance hall e o soundsystem e gêneros como o afrobeat, o soul, o neosoul e o acid jazz atualmente formam um cenário que já pode ser considerado consolidado em Feira de Santana. Se não ainda consolidado, mas com um enorme potencial. Com a ascensão de grupos e jovens artistas que passaram a patentear e experimentar a pulsação dos elementos do som da periferia, a música negra que exalta temas sociais, políticos e urbanos passava a ter um ponto fixo para impulsionar seus versos e suas concepções. Assim nascia a Sexta Black.

O evento, agora na versão 2016, volta a marcar presença na agenda cultural da Terra de Lucas. A primeira Sexta Black dessa nova temporada marca o retorno às pistas de dança com o maior alcance dos ritmos da música preta em essência. A noite marcará o regresso onde essa mistura de ritmos e expressões dos guetos mostra cada vez mais a sua força e seu poder artístico cultural, com talentos que contam facetas e particularidades da nossa cidade de uma forma singular e própria de fazer arte. Um grande número de rappers, MC’s, grupos de dança e adjacências que utilizam esses elementos das pick-ups para fazer o som da periferia estão surgindo. É um nicho que necessita cada vez mais de ambientes para promover e prosperar suas inquietações, suas frases, seus temas socais a sua cultura de rua, um estilo de vida onde os versos falados ou cantados e as batidas impulsionam valores em que toda uma coletividade se mistura.

As quatro atrações confirmadas para esse retorno da Sexta Black trarão uma noite imperdível para os seguidores dos gêneros da música negra e dançante que embala a proposta dessa ação. O grupo Roça Sound mistura o seu soundsystem (sistema de som) com letras cantadas e já se mostra com um público fiel na cidade. O Quadro, grupo que vem de Ilhéus, no Sul da Bahia, existe desde 1996 e de lá até aqui vem verbalizando rimas cadenciadas e executadas harmonicamente com instrumentos digitais e artesanais. Fazem uma mistura de rap, soul e dub. E os expoentes do rap feirense Doutrina MC e Macgyver MC completam a line-up do evento, com suas rimas marcantes e precisas explorando o contexto social urbano da cidade. A ação promovida pelo Feira Coletivo Cultural, que marca a volta da Sexta Black, acontece no Offisina Music Lounge, dia 3 de junho. Esperamos todos por lá.

Por Murillo Campos

ANELIS
Padrão

Feira Coletivo apresenta Anelis Assumpção

Show da cantora paulista acontece dia 1º de agosto e conta com abertura de Giovani Cidreira (Salvador) e Sergio Magno (Feira de Santana)

ANELIS

Pela primeira vez em Feira de Santana, a cantora paulista Anelis Assumpção leva o show da sua turnê Amigos Imaginários ao Antiquario Pub no dia 1º de agosto de 2015 (sábado), a partir das 22h. A noite conta ainda com show de abertura de Giovani Cidreira e Sergio Magno. Os ingressos antecipados custam R$20.

Considerada um dos grandes nomes da nova MPB, Anelis lançou em 2014 seu segundo disco em carreira solo, “Anelis Assumpção e os Amigos Imaginários”, pelo qual já ganhou alguns prêmios e já circulou por diversas cidades do Brasil. Anelis é filha do grande compositor paulistano Itamar Assumpção, e vem trilhando sua carreira independente do nome do pai, com seu estilo voltado pra MPB com fortes traços da blackmusic.

O trabalho foi produzido pela cantora e pelos músicos Bruno Buarque, Cris Scabello, MAU e Zé Nigro. Uma produção coletiva e certeira que é sentida sutilmente na assinatura individual de cada um. Não pra menos, eles fazem parte da banda que acompanha Anelis desde o começo de sua carreira solo e que agora dá nome ao disco: ‘Anelis Assumpção e os Amigos Imaginários’.

Além dos rapazes, a banda conta com a guitarrista Lelena Anhaia e o trombonista Edy Trombone. Essa liga coesa entre pessoas que tem intimidade e compatibilidade sonora e gentileza poética para transitar entre os versos e frases sugeridas por Anelis, fazem a diferença absoluta para a sonoridade do disco. Eles se completam. Anelis e seu bando trocam fluidos a cada frame canção. E se divertem. Um disco de bando. Um som de banda.

Sobre Giovani Cidreira


giovani_por-ana-camila-1_header1

O soteropolitano Giovani Cidreira iniciou sua carreira musical em 2006, como vocalista da banda Velotroz. Desde então, desenvolveu seu trabalho como compositor e arranjador, que tem como base um híbrido de rock contemporâneo com claras influências da música popular brasileira dos anos setenta, além de sonoridades contemporâneas das mais diversas localidades.

Seu trabalho, essencialmente autobiográfico, dialoga diretamente com a literatura, o audiovisual e as artes visuais, mesclando os elementos culturais diversificados que compõem o seu repertório.

Em novembro de 2014, Giovani Cidreira lançou o primeiro registro de suas canções como artista solo. Produzido no Estúdio Caverna do Som, o EP apresenta sete faixas, entre as quais “Ancohuma”, premiada como melhor música com letra pelo XII Festival de Música da Educadora FM. O disco está disponível no site: www.giovanicidreira.com

Sobre Sergio Magno

SM 2

Sergio Magno é um artista da MPB, mas essa é apenas uma classificação, não é um limite. Suas músicas versam sobre a simplicidade do cotidiano, vivências e sobre o amor em todas as suas manifestações. Lançou seu primeiro EP em 2007, quase um acústico, fruto da vontade de registrar o que só os amigos e os bares da cidade (a essa altura, Araci) conheciam. Em 2011 lançou o EP “À Moda Antiga”, quando já morava em Feira de Santana. Nos anos de 2012 e 2013 iniciou parceria com a Unidade de Guerrilha (rap), Clube de Patifes (blues/rock) e foi convidado para participar de um projeto especial com um dos mais respeitados músicos feirenses, Dionorina. Atualmente ele trabalha na produção do seu primeiro fulllenght, do qual o single “Quis”, lançado no início de 2014, faz parte. O álbum já tem nome, “O Que Restou das Aulas de Violão”, exatamente aquelas da adolescência.

SERVIÇO

Feira Coletivo apresenta Anelis Assumpçãoe os Amigos Imaginários

Abertura: Giovani Cidreira (Salvador) e Sergio Magno (Feira de Santana)

Dia 1º de agosto de 2015 (sábado), às 22h

Antiquário Pub

Ingressos antecipado: R$20

Padrão

Chá de Conversa e Som será retomado com discussão sobre as dimensões da Independência da Bahia

11181181_954952991223655_7172977262024218942_n

Com o tema “Independência da Bahia: entre o histórico e o simbólico”, apresentado pelo historiador Sérgio Guerra, professor da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), será retomado depois de pouco mais de um ano e meio o projeto Chá de Conversa e Som.

A atividade será realizada na sexta-feira (24), a partir das 19h30, no Museu de Arte Contemporânea (MAC), de Feira de Santana. Durante o encontro serão exibidos vídeo produzidos pela TV Olhos D’Água referentes à temática principal desta edição do evento.

O destaque musical do 16º Chá ficará por conta de Jefferson Moura e Matheus Mathyara, que além de canções autorais, interpretarão releituras de composições que possuem correlação com a história da Bahia.

O Chá

O Chá de Conversa e Som é um evento da sociedade civil, de acesso gratuito e classificação livre e fundamenta-se em encontros mensais temáticos para “bate-papos” que girem em torno da cultura feirense, territorial e estadual.

A atividade é organizada pelo Coletivo Chá, composto pelo artista plástico e percussionista Gabriel Ferreira, historiador e mestre de capoeira angola Bel Pires (Grupo de Pesquisa Populações Negras/Uneb), radiojornalista e coordenador da TV Olhos D’Água da Uefs Elsimar Pondé e pelo artista visual Edson Machado.

SERVIÇO

O que: Chá de Conversa e Som – 16ª edição
Quando: Sexta-feira, 24 de julho de 2015, às 19h30
Onde: MAC – Museu de Arte Contemporânea – Rua Geminiano Costa, nº 255, Centro, ao lado da Biblioteca Municipal – Feira de Santana
Realização: Coletivo Chá
Entrada, chá e torrada: Gratuitos

Sexta Black
Padrão

Sexta Black traz a diversidade do hip-hop e da música jamaicana

Sexta Bla

No dia 7 de novembro, a Produtora Pega Visão e o Feira Coletivo vão realizar mais uma edição da Sexta Black, com apoio das lojas Caps Store e Paradise in Surf. O evento, como o nome já diz, existe para divulgar os artistas que se voltam para a música negra na nossa região, contribuindo para profissionalizá-los cada vez mais. É, além de tudo, um verdadeiro show de ritmos, imperdível para o público que está sempre em busca das novidades que o cenário alternativo pode oferecer.

O talento do veterano Vandal, rapper de Salvador, é uma dessas boas novas que vamos poder conferir ao vivo. Ele começou há cerca de uma década, se apresentando em festas e mutirões, e nunca abandonou o grafite, arte que é um complemento para suas rimas. No momento, está divulgando a mistura sonora de TIPOH LAZH VEGAZH, seu trabalho a ser lançado em breve, cujo repertório é inspirado até mesmo na música baiana.

As outras atrações solo são MC MacGyver e MC DoisAs. O primeiro é de Feira de Santana, vem atuando bastante nos últimos dois anos e pretende lançar sua mixtape Prelúdio. O segundo representa a cena hip hop de Cruz das Almas e está preparando oito faixas para seu futuro EP, Baralho Marcado. São artistas jovens, mas já com boa vivência, composições de qualidade, desenvoltura e direcionamento sólido. Com certeza, estão prontos para surpreender a plateia.

O duo feirense Roça Sound System, que já possui tradição na cidade por transformar o dia-a-dia em arte, vai novamente nos brindar com sua mescla de reggae, dub, rap e vários outros sons. E como não poderia faltar a dança, forma de expressão tão importante para a cultura hip-hop, teremos também a apresentação do grupo local LBA Anonymous B Boys.

 

O QUÊ: Sexta Black

ATRAÇÕES: Vandal, MC MacGyver, MC DoiAs, Roça Sound, LBA Anonymous

ONDE: Offsina Music Lounge| Rua Sabino Silva, 81 – Centro, Feira de Santana (BA)

QUANDO: 07/11/2014, sexta-feira, às 21 horas

QUANTO: R$ 10,00

Cartaz_Oficial_convertido
Padrão

FEIRA DE SANTANA RECEBE DE BRAÇOS ABERTOS O BAILARES FESTIVAL DE DANÇA 2014

Cartaz_Oficial_convertidoDe 17 a 25 de Outubro acontecerá em Feira a segunda edição do Bailares – Festival de Dança realizado pela Trupe Mandhala, grupo de Dança Étnica Contemporânea da cidade. Com o objetivo de ampliar, valorizar e divulgar o cenário da dança na região, o Bailares atua diretamente na facilitação do acesso a aulas de dança diversas e a espetáculos diferenciados e de qualidade, agradando tanto a profissionais da área, quanto curiosos e amantes da dança.

O Festival abre espaço não somente para bailarinos e grupos conhecidos e conceituados, mas, principalmente, para grupos e bailarinos independentes através do Palco Dança Difusão que irá proporcionar a eles a possibilidade de serem vistos e reconhecidos em seus talentos. Além disso, os workshops que compõem a programação do Bailares são uma importante ferramenta de capacitação, qualificação e conhecimento para os participantes.

O Bailares tem em seu DNA a potencialidade de estabelecer campos de troca e circulação de bens culturais entre os bailarinos. O projeto vem para gerar visibilidade para ações no âmbito da dança, estimulando o acesso à cultura e dando enfoque às novas iniciativas coletivas na produção cultural, para a integração com cenas locais, regionais e nacionais e para que toda esta movimentação seja visível e cativante a um público cada vez maior.

O Bailares é um projeto premiado no edital Calendário das Artes 2014.1 da Fundação Cultural do Estado da Bahia e Governo do Estado da Bahia, e também aprovado e apoiado pelo Pro Cultura e Esporte, Prefeitura Municipal de Feira de Santana e Fundação Municipal Egberto Costa.

Para saber mais e se inscrever nos workshops e palestras, acesse – http://bailaresfsa.blogspot.com.br/

PROGRAMAÇÃO

Abertura – BAILARES SHOW

Dia 17/10 | Teatro do CUCA | Horário 19:30h | Entrada doação de Alimento ou Ração que serão doados para o CCAA ou para a APA.

Atrações: professores dos workshops, convidados de Salvador e Feira e ainda stands de diversos expositores.

PALESTRAS

Dia 18/10 | 9h e 10h | Allegro Academia (Gratuito com direito a certificado)

– Aura e Autenticidade na Dança Tribal – Gilmara Cruz – Historiadora (Aracaju)

– Psicossomática e Dança do Ventre – Mel Brevilliere – Psicóloga (Salvador)

PALCO DANÇA DIFUSÃO

Dia 18/10 | Teatro do CUCA | Horário 16h | Entrada Franca.

Apresentação de artistas de Feira e região que foram selecionados através de inscrição, e convidados. Além da presença dos expositores

ESPETÁCULOS

Dia 18/10 | Teatro do CUCA | Horário 19h | Entrada Franca.

Apresentação dos espetáculos Delirium da Plataforma Convidança de Salvador e Feminino Plural de Kilma Farias da Paraíba

WORKSHOPS

De 18 a 25 de Outubro | Allegro Academia | Gratuitos

– Ballet – Carlos Cabral e Loa Schonfelder (Rio de Janeiro)

– Popping Dance no Tribal Fusion – Lukas Oliver (São Paulo)

– Tribal Brasil – Kilma Farias (Paraíba)

– Flamenco Árabe: Janah Ferreira (Salvador)

– Jazz Vogue, Waacking e Stiletto: The Fabulous (Salvador)

– Kizomba – Nessí ZouKizomba (Feira de Santana)

– Dança Pós-Moderna – Anderson Rodrigo (Salvador)

– Waack Fusion – Caique Melo (Vitória da Conquista)

– Tribal Ragga Jam – Trupe Mandhala (Feira de Santana)

– DPR Danças Populares Regionais – Antonia Lyara Brito (Salvador)

– Jazz Dance – Marcos Cerqueira (Feira de Santana)

– Afro Contemporâneo – Katson Freitas (Salvador)

IMG_5259
Padrão

Banda baiana Inventura faz turnê de lançamento do seu primeiro disco

Cópia de IMG_4439-2

Financiada pela FUNCEB, tour passa por Vitória da Conquista, Feira de Santana e Salvador

Dia 28 de setembro, em Vitória da Conquista, tem início a turnê de lançamento do primeiro disco da banda Inventura. Natural de Alagoinhas, a banda faz shows ainda em Feira de Santana (11/10) e Salvador (12/10), apresentando as canções autorais que compõem o repertório deste primeiro trabalho, lançado em 2014. A tour é financiada pela Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, através do Calendário das Artes, e conta com bandas convidadas em cada uma das cidades.

Com 13 faixas autorais, o disco traz um rock simples e cativante, com arranjos que passeiam por diferentes texturas musicais e letras com temáticas que envolvem facetas do cotidiano e do comportamento humano. O CD, também intitulado INVENTURA, foi gravado e produzido pela banda de maneira independente, e isso permitiu que Lucas Costa (voz e baixo), Felipe Costa (bateria) e Paulo Dantas (guitarra) levassem para o estúdio uma energia que, por vezes, remete à de uma apresentação ao vivo. É esse mesmo clima que o INVENTURA leva para os palcos, proporcionando ao público uma experiência bastante calorosa e peculiar, regada a muito rock.

Na cena desde 2007, a Inventura já tocou em diversos festivais e eventos, como: Conexão BH (MG), Palco do Rock, no carnaval de Salvador (BA), Grito Rock (BA), Noites Baianas (BA), Nordeste Independente (BA), Noite Fora do Eixo (BA), entre outros. Em 2013 a banda realizou a turnê Energec Rock em parceria com a banda Neutrall (SP) em cidades do interior de São Paulo. Além dessas apresentações os integrantes estão sempre buscando movimentar a cena artística de sua cidade natal, promovendo eventos importantes como: “Dobradinha de Rock” e “Junto”, em parceria com músicos da região.

  SERVIÇO

Inventura em Feira de Santana (BA)

Data e Horário: 11/10 (sábado), às 22h

Local: Antiquário Pub Convidados: Os Jonsóns + Insert a Coin + Novelta

Fervura Feira Noise
Padrão

Fervura Feira Noise esquenta a cidade com show de Wado

Fervura Feira Noise

O Fervura Feira Noise é o aquecimento musical do Feira Coletivo para o seu festival anual de artes integradas. Para esta edição do Fervura, Feira de Santana vai receber Wado, um dos grandes da nova MPB. A noite vai contar ainda com as bandas OS2, Bando Catavento e Sanitário Sexy. O evento vai ser neste sábado (20/05), no Antiquário Pub, a partir das 21h.
Apresentações na França e na Alemanha, parcerias com Marcelo Camelo e Zeca Baleiro, premiações e diversos outros marcos compõem a carreira de Wado. Entre um trabalho solo e outro, fez parte do grupo Fino Coletivo e agora lança o “Vazio Tropical”, seu sétimo álbum solo.
A cena local vai ser representada pelos grupos OS2 e Bando Catavento. A banda OS2 voltou aos palcos em 2012 e avisa que veio pra ficar. O quarteto faz um som que passeia entre o rock’n’roll e o ska com grande dedicação ao trabalho autoral. Já o Bando Catavento traz em seu repertório composições próprias em ritmo de rock rural e interpretações de sucessos de Zé Ramalho, Alceu Valença, Sá Rodrix & Guarabyra, Raul Seixas e outros nomes da música nordestina.
Direto do Vale do São Francisco (Juazeiro-BA/Petrolina-PE), a Sanitário Sexy completa a grade com seu rock descontraído. A banda vem pronta para comemorar o lançamento do single “Você Pode Me Divertir”, uma prévia do primeiro álbum que está por vir.

Clique aqui e confirme presença!

Serviço

O quê: Fervura Feira Noise
Quando: 20/09 | 21h
Onde: Antiquário Pub – Rua General Mendes Pereira, 202, Ponto Central
Quanto: Ingressos antecipados – R$ 20 | Ponto de venda: Aqi Ingressos (Boulevard Shopping)