Página 1
Padrão

Legalize It: Da Jamaica ao Portal do Sertão

 

13235431_1128588120526807_1574410250048045934_o O Feira Coletivo Cultural traz mais uma vez a Feira de Santana a cantora e compositora paulista Anelis Assumpção, no próximo dia 2 de junho. É o seu retorno à cidade, aonde viera para o debute em 2015 e agora regressa com um novo show, uma temática diferente e a expectativa de uma grande noite.

Não dá para restringir a sonoridade de Anelis Assumpção a algum gênero imediato. Ela faz música contemporânea, algo bastante abrangente. Como se fosse uma nova música popular brasileira. Tem uma voz segura, ao mesmo tempo suave, além de forte. Dessa maneira ela canta o amor, expressa a individualidade, explana o tempo e entoa o nós. Agora a cantora e sua banda trará para Feira de Santana uma novidade, diferente do seu tradicional show intitulado de “Anelis Assumpção e os Amigos Imaginários”. Nesse novo projeto a intenção é evidenciar sua forte influência da música jamaicana em suas composições, fazendo uma viagem no conceituado disco “Legalize It”, o primeiro álbum solo do lendário cantor Peter Tosh.

O disco completará 40 anos de seu lançamento. A ideia dessa temática é fazer uma grande celebração ao reggae, que nesse período de impulso do “Legalize It” tivera um momento especial para sua efervescência artística, quando Tosh e outros ícones do gênero lançaram álbuns emblemáticos e que contribuíram para a ascensão e escalada dos sons jamaicanos pelo mundo.

O “Legalize It” mostra a juventude de Peter Tosh, cheio de preocupações sociais e políticas, ao mesmo tempo brincalhão e alegre, tentando propagar a sua mensagem. Um álbum que tem sua riqueza juntamente com sua diversidade. É um dos mais brilhantes registros do reggae em toda história. Assim Anelis Assumpção irá traduzir toda essa memória com sua voz impecável e que remeterá numa noite imperdível para os fãs da cultura jamaicana. O evento irá acontecer no Teatro Margarida Ribeiro, nos Capuchinhos, a partir das 20:00 horas, dia 2 de junho e o ingresso custará R$20,00.

Por Murillo Campos

 

ANELIS
Padrão

Feira Coletivo apresenta Anelis Assumpção

Show da cantora paulista acontece dia 1º de agosto e conta com abertura de Giovani Cidreira (Salvador) e Sergio Magno (Feira de Santana)

ANELIS

Pela primeira vez em Feira de Santana, a cantora paulista Anelis Assumpção leva o show da sua turnê Amigos Imaginários ao Antiquario Pub no dia 1º de agosto de 2015 (sábado), a partir das 22h. A noite conta ainda com show de abertura de Giovani Cidreira e Sergio Magno. Os ingressos antecipados custam R$20.

Considerada um dos grandes nomes da nova MPB, Anelis lançou em 2014 seu segundo disco em carreira solo, “Anelis Assumpção e os Amigos Imaginários”, pelo qual já ganhou alguns prêmios e já circulou por diversas cidades do Brasil. Anelis é filha do grande compositor paulistano Itamar Assumpção, e vem trilhando sua carreira independente do nome do pai, com seu estilo voltado pra MPB com fortes traços da blackmusic.

O trabalho foi produzido pela cantora e pelos músicos Bruno Buarque, Cris Scabello, MAU e Zé Nigro. Uma produção coletiva e certeira que é sentida sutilmente na assinatura individual de cada um. Não pra menos, eles fazem parte da banda que acompanha Anelis desde o começo de sua carreira solo e que agora dá nome ao disco: ‘Anelis Assumpção e os Amigos Imaginários’.

Além dos rapazes, a banda conta com a guitarrista Lelena Anhaia e o trombonista Edy Trombone. Essa liga coesa entre pessoas que tem intimidade e compatibilidade sonora e gentileza poética para transitar entre os versos e frases sugeridas por Anelis, fazem a diferença absoluta para a sonoridade do disco. Eles se completam. Anelis e seu bando trocam fluidos a cada frame canção. E se divertem. Um disco de bando. Um som de banda.

Sobre Giovani Cidreira


giovani_por-ana-camila-1_header1

O soteropolitano Giovani Cidreira iniciou sua carreira musical em 2006, como vocalista da banda Velotroz. Desde então, desenvolveu seu trabalho como compositor e arranjador, que tem como base um híbrido de rock contemporâneo com claras influências da música popular brasileira dos anos setenta, além de sonoridades contemporâneas das mais diversas localidades.

Seu trabalho, essencialmente autobiográfico, dialoga diretamente com a literatura, o audiovisual e as artes visuais, mesclando os elementos culturais diversificados que compõem o seu repertório.

Em novembro de 2014, Giovani Cidreira lançou o primeiro registro de suas canções como artista solo. Produzido no Estúdio Caverna do Som, o EP apresenta sete faixas, entre as quais “Ancohuma”, premiada como melhor música com letra pelo XII Festival de Música da Educadora FM. O disco está disponível no site: www.giovanicidreira.com

Sobre Sergio Magno

SM 2

Sergio Magno é um artista da MPB, mas essa é apenas uma classificação, não é um limite. Suas músicas versam sobre a simplicidade do cotidiano, vivências e sobre o amor em todas as suas manifestações. Lançou seu primeiro EP em 2007, quase um acústico, fruto da vontade de registrar o que só os amigos e os bares da cidade (a essa altura, Araci) conheciam. Em 2011 lançou o EP “À Moda Antiga”, quando já morava em Feira de Santana. Nos anos de 2012 e 2013 iniciou parceria com a Unidade de Guerrilha (rap), Clube de Patifes (blues/rock) e foi convidado para participar de um projeto especial com um dos mais respeitados músicos feirenses, Dionorina. Atualmente ele trabalha na produção do seu primeiro fulllenght, do qual o single “Quis”, lançado no início de 2014, faz parte. O álbum já tem nome, “O Que Restou das Aulas de Violão”, exatamente aquelas da adolescência.

SERVIÇO

Feira Coletivo apresenta Anelis Assumpçãoe os Amigos Imaginários

Abertura: Giovani Cidreira (Salvador) e Sergio Magno (Feira de Santana)

Dia 1º de agosto de 2015 (sábado), às 22h

Antiquário Pub

Ingressos antecipado: R$20

10506704_791793274210069_1569177851171382758_o
Padrão

Monte sua banquinha no Camelô 2.0

10736016_10203023642893365_1264583865_n

Sertão que se preze tem feira sim senhor, mas o nosso, urbano que é, tem Camelô 2.0. Uma das atrações do Feira Noise 2014, A Feira e é uma grande oportunidade de exposição e comercialização para produtores independentes e vai acontecer entre os dias 28 e 30 de novembro.

Poderão participar empreendimentos de produção coletiva, autogestionária e solidária dos segmentos de: cultura; artesanato; confecção; que ofereçam produtos ou prestação de serviços de qualidade com diversidade e respeito ao meio ambiente. Além da adequação nessas características, a seleção será baseada nos seguintes critérios:

  1. Ordem de inscrição;
  2. Diversidade de oferta de produtos e serviços;
  3. Participação na reunião de organização do setor de exposição do Feira Noise Festival 2014.

As inscrições vão até o dia 30 de outubro, os interessados devem ler atentamente o regulamento disponível aqui e preencher o formulário disponível neste link: http://bit.ly/formcamelo

A lista de selecionados será divulgada dia 03 de novembro.

Dúvida? Manda e-mail pra gente: banquinha@feiracoletivo.com.br

 

Sexta Black
Padrão

Sexta Black traz a diversidade do hip-hop e da música jamaicana

Sexta Bla

No dia 7 de novembro, a Produtora Pega Visão e o Feira Coletivo vão realizar mais uma edição da Sexta Black, com apoio das lojas Caps Store e Paradise in Surf. O evento, como o nome já diz, existe para divulgar os artistas que se voltam para a música negra na nossa região, contribuindo para profissionalizá-los cada vez mais. É, além de tudo, um verdadeiro show de ritmos, imperdível para o público que está sempre em busca das novidades que o cenário alternativo pode oferecer.

O talento do veterano Vandal, rapper de Salvador, é uma dessas boas novas que vamos poder conferir ao vivo. Ele começou há cerca de uma década, se apresentando em festas e mutirões, e nunca abandonou o grafite, arte que é um complemento para suas rimas. No momento, está divulgando a mistura sonora de TIPOH LAZH VEGAZH, seu trabalho a ser lançado em breve, cujo repertório é inspirado até mesmo na música baiana.

As outras atrações solo são MC MacGyver e MC DoisAs. O primeiro é de Feira de Santana, vem atuando bastante nos últimos dois anos e pretende lançar sua mixtape Prelúdio. O segundo representa a cena hip hop de Cruz das Almas e está preparando oito faixas para seu futuro EP, Baralho Marcado. São artistas jovens, mas já com boa vivência, composições de qualidade, desenvoltura e direcionamento sólido. Com certeza, estão prontos para surpreender a plateia.

O duo feirense Roça Sound System, que já possui tradição na cidade por transformar o dia-a-dia em arte, vai novamente nos brindar com sua mescla de reggae, dub, rap e vários outros sons. E como não poderia faltar a dança, forma de expressão tão importante para a cultura hip-hop, teremos também a apresentação do grupo local LBA Anonymous B Boys.

 

O QUÊ: Sexta Black

ATRAÇÕES: Vandal, MC MacGyver, MC DoiAs, Roça Sound, LBA Anonymous

ONDE: Offsina Music Lounge| Rua Sabino Silva, 81 – Centro, Feira de Santana (BA)

QUANDO: 07/11/2014, sexta-feira, às 21 horas

QUANTO: R$ 10,00

Fervura
Padrão

Fervura dá a largada para o Feira Noise 2014

Fervura

O Fervura Feira Noise marca o início dos preparativos para o festival que acontecerá no segundo semestre deste ano. Este aquecimento vem com a participação de bandas independentes e ativas na movimentação do cenário rocker baiano, são elas: Teenage Buzz (Salvador), Tangerina Jones (Feira de Santana), Cascadura (Salvador), Novelta (Feira de Santana) e Clube de Patifes (Feira de Santana). O evento vai ser neste sábado (10/05), no Antiquário Pub, a partir das 19h.
Para esquentar a noite, o público vai contar com a experiência da Clube de Patifes e da Cascadura, bandas que colecionam anos de estrada e seguidores fiéis em todos os seus shows. O palco também vai do que há de novo na cena, assim, o indie do Teenage Buzz, o stoner da Novelta e rock suingado da Tangerina Jones completam a grade da festa.

Serviço

O quê: Fervura Feira Noise
Quando: 10/05 | 19h
Onde: Antiquário Pub – Rua General Mendes Pereira, 202, Ponto Central
Quanto:
Ingressos antecipados – R$ 15 (preço único) | Ponto de venda: Aqi Ingressos (Boulevard Shopping)
Na portaria do evento – R$ 15 (meia) | R$ 30 (inteira)
Facebook: http://on.fb.me/QbvRMT

Pré Grito Rock
Padrão

Pré Grito Rock traz destaques da cena independe baiana

 

Pré Grito Rock

Maglore, Tangerina Jones e Os Jonsóns, essas são as atrações que vão aquecer as gargantas feirenses no Pré Grito Rock, evento que acontecerá dia 22 de fevereiro, no Antiquário Pub, a partir das 21h30. A festa é uma prévia do festival Grito Rock, que será em março.

       Com base pop e elementos da MPB e do rock, o quarteto baiano Maglore ganhou destaque nacional após o lançamento do seu primeiro CD (Veroz, 2011). Depois de centenas de shows pelo país e mudança de estado, a banda provou seu amadurecimento musical com o lançamento do álbum “Vamos pra Rua”, que tem participação de Carlinhos Brown e Wado em suas faixas e foi apontado pela mídia especializada como destaque musical de 2013.

       Os Jonsóns passeiam pela surf music e rockabilly  com bom humor e psicodelia. O resultado é um rock simples e divertido que pode ser conferido no EP “Segundo”.  O grupo figura entre as revelações do novo rock baiano, espaço que divide com a Tangerina Jones, banda feirense que balança o público com seu rock’n’roll cheio de suingue.

 

Clique aqui para confirmar presença na página do evento no Facebook.

A nossa Banquinha está de volta e cheia de novidades para o evento!
A nossa Banquinha está de volta e vem cheia de novidades!

 

Serviço

O quê: Pré Grito Rock

Quando: 23/02 | 21h30

Onde: Antiquário PubRua General Mendes Pereira, 202, Ponto Central

Quanto: R$ 15 (ingressos antecipados) | Pontos de venda: balcões do Boulevard Shopping e Arnold Silva Plaza

 

 

tj
Padrão

Tangerina Jones no Pré-Grito Rock Feira 2014

tj Aquecimento bom começa com grito. Então pode começar a treinar o seu. Vem aí o Pré-Grito Rock Feira 2014. E pra quem estava com saudade deles, a Tangerina Jones está de volta em seu primeiro show do ano em grande estilo. Confira dia 22 no Antiquário. Quem ainda não conhece, dá um saque no som dos caras –https://soundcloud.com/tangerinajones/ice-cream-rock-n-roll

961184_10200656355826095_2135627780_n
Padrão

O Feira Coletivo em iniciativas de formação no Colégio Teotônio Vilela

No último dia 03 de agosto, sábado, membros do Feira Coletivo Cultural estiveram no Colégio Estadual Teotônio Vilela, situado no bairro João Paulo, em Feira de Santana. Alan Magalhães, Eduardo Quintela e Diego Carvalho ministraram duas oficinas de formação durante a manhã, uma com o tema Audiovisual e outra sobre Patrimônio.

Em parceria com a Diretoria do Colégio e o professor Adalto Silva, estes integraram atividades do projeto Mais Educação, que tem por finalidade difundir as várias artes, incentivando os alunos a produzirem. As ações foram fruto da integração de Adalto Silva e dos “Feira Coletivo” dentro do “Movimento Mobiliza Cultura”, atualmente “Fórum Permanente de Cultura”. As reuniões do movimento possibilitou o contato entre uma diversidade de grupos e indivíduos que atuam com cultura, gerando uma mobilização política e abrindo portas para a construção de atividades e ações entre estes grupos e indivíduos, sendo que a atividade referida já foi consequência disto. Durante a tarde, houve também a participação de Diego Carvalho e do artista Paulo Costa na mesa de jurados do festival que apresentava os resultados finais, culminância do projeto, com premiações para poesia, música e artes plásticas.

As ações de formação são atividades importantes para o Feira Coletivo que, assim como o Fora do Eixo, desenvolve a Universidade Livre, aprendizado sem formalidades e construído em coletividade. Desde o início do grupo que aprendemos na prática, e também realizamos ações de capacitação formal como oficinas, cursos, mesas de debates e etc. Como resultado, conseguimos construir autonomia, independência e, ao mesmo tempo, nos profissionalizamos. Difundir em escolas e eventos nos permite avançarmos em nossa luta, politizando os processos formativos oportunizando o engrandecimento de todos, tanto de alunos, como foi o caso, como o nosso na troca de ideias e experiências.

961184_10200656355826095_2135627780_n

1075208_10200656353746043_528837218_n

992407_10200656355426085_1124286471_n

Veja mais fotos aqui – https://www.facebook.com/feiracoletivo

feira de santana 5
Padrão

Carta aberta à Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer de Feira de Santana‏

 

Feira de Santana, a maior cidade do interior da Bahia e uma das maiores do Nordeste, tem um número crescente de artistas de todas as áreas e de público ansioso para acessar produtos culturais. No entanto, mesmo diante desta realidade, a cidade ainda está muito aquém do que seria o esperado no que diz respeito às políticas públicas para a cultura. É urgente e visível a necessidade de uma Secretaria Municipal de Cultura mais atuante e diversa em seus objetivos, que cumpra o seu papel de fomentadora das artes e facilitadora do acesso da população a ela. É oportunidade de mudar, de deixar de lado o aspecto de uma Secretaria promotora apenas de eventos de massa, para assumir o papel de incentivar artistas e produtores locais, bem como atender à demanda dos diversos públicos da cidade.

Portanto, está na hora de diversificar os investimentos municipais da cidade para eventos em que sejam priorizados os diversos públicos culturais que habitam a cidade, o contrário do que temos visto até hoje: grandíssimo público e monopólio de poucas linguagens artísticas. Não é acabar com uma perspectiva, mas incorporar outras, dar oportunidade e reconhecer também outros valores. Entendendo que toda reivindicação deve vir acompanhada de propostas, o Feira Coletivo Cultural pensou e discutiu durante o ano de 2012 algumas pautas destinadas a servir como propostas para a nova Secretaria de Cultura formada em 2013, a qual esperamos que seja composta por pessoas mais sensíveis às demandas da população e aos anseios dos artistas e produtores de nossa grande cidade.

Acreditamos que o foco principal para que a nova Secretaria revolucione o cenário cultural da cidade é deixar de lado a apatia reinante anteriormente e assumir uma postura mais atuante, onde existam projetos e políticas pensados através de diálogos com grupos e indivíduos da área artística e os produtores culturais. Consideramos também que a revitalização do Conselho de Cultura é fundamental e lembramos que o primeiro passo para isso é a convocação de novas eleições – tendo em vista que o prazo de 02 anos já expirou sem que nenhuma das principais pautas fossem conquistadas ou sequer discutidas, a saber: Implantação do Fundo de Cultura Municipal; Implementação de uma política de editais que sirva como uma alternativa além do pró-cultura; Inclusão da cidade no Sistema Nacional de Cultura.

Para começar a estabelecer um diálogo propositivo, listamos alguns pontos que julgamos fundamentais para o estímulo e difusão da produção cultural de nossa cidade:

 

  • Realização de um mapeamento cultural na cidade;
  • Melhor gestão dos equipamentos culturais dos quais a cidade dispõe – a exemplo do Centro de Cultura Maestro Miro e do Teatro Margarida Ribeiro – e implantação de outros centros culturais, principalmente nos bairros, que se convertam em espaços atuantes e abertos à comunidade;
  • Formação e capacitação de agentes e técnicos culturais, sendo este um elemento importante para a qualificação e profissionalização deste setor na cidade, além de ser uma ação geradora de emprego e renda. Neste sentido, sugerimos que a Fundação Egberto Costa seja responsável por elaborar projetos com este objetivo;
  • Maior clareza no orçamento destinado à cultura e melhor distribuição deste orçamento destes investimentos para que não fiquem restritos aos “grandes eventos” como a Micareta, a Expofeira e o São João;
  • Fortalecimento da identidade e diversidade cultural da cidade;
  • Fomento às diversas manifestações artísticas como a literatura, a cultura popular, as artes visuais, a música e as artes cênicas;
  • Projetos que trabalhem com as transversalidades de setores como Cultura, Educação e Saúde Pública, no intuito de oferecer mais opções aos jovens, crianças e adultos ao passo em que auxilia no combate a problemas corriqueiros que atingem a nossa cidade.