Página 1
01-ts-2017_raphael-castejon
Padrão

Torture Squad e mais 3 bandas nesta Terça em Feira

O ano de 2017 continua surpreendendo os amantes da música pesada em Feira de Santana. Em agosto, a cidade recebe a Far Beyond Existence Tour, mega turnê capitaneada pelo Torture Squad, que conta ainda com outras três importantes bandas do underground nacional:   Hatefulmurder, Reckoning Hour e Warcursed. O evento é promovido em Feira pela frutífera parceria entre o Feira Coletivo e o ThunderGod Zine.

           01-ts-2017_raphael-castejon

Os paulistanos do Torture Squad, banda de thrash/death metal formada em 1989, colecionam êxitos impressionantes ao longo destes quase trinta anos de estrada. Entre os oito full-length do “esquadrão”, destacam-se discos magníficos como o Asylum of Shadows (1999), Hellbound (2008) e Aequilibrium (2010). O mais recente, Far Beyond Existence (2017), que nomeia a turnê, é um trabalho de altíssimo nível. Nele, os veteranos Castor (bass / backing vocals) e Amílcar Christófaro (drums) juntam-se a Rene Simionato (guitars) e Mayara “Undead” Puertas (vocals) e evidenciam, uma vez mais, que as mudanças na formação e os reveses do tempo não conseguem atravancar o caminho do Torture Squad. O trabalho, de vitalidade marcante, recheado de passagens rápidas muito bem construídas e trechos cadenciados, demonstra a maturidade dos membros remanescentes na confecção do peculiar som da banda, e um entrosamento perfeito dos recém-chegados. O resultado é fabuloso, com destaque para faixas matadoras como No fate, na qual testemunha-se o poder e versatilidade da voz de Mayara “Undead” e as incríveis construções musicais de Castor e Christófaro, e Steady Hands, track que deixa muito claro, mais uma vez, que o Torture Squad só precisa mesmo de um guitarrista, e que Rene Simionato, com seus poderosos riffs e solos muito bem posicionados, tem o que é necessário para manter a banda em seu posto de relevância no cenário, nacional ou gringo. O Torture Squad, sem dúvida uma das bandas nacionais com maior destaque no exterior, venceu, em 2007, o Metal Battle, uma seletiva de bandas, e, como prêmio, garantiu vaga para uma apresentação histórica no Wacken, um dos maiores festivais de Metal do mundo, na Alemanha. A banda fará neste evento a sua terceira apresentação em terras feirenses.

As outras três bandas tocarão pela primeira vez em Feira, que, com este evento, consolida-se definitivamente como ponto de passagem para as mais relevantes turnês do Metal nacional em 2017.

18491682_1600000023352913_3570060709174874410_o

O Hatefulmurder, banda carioca de thrash/death metal formada em 2008, divulgará no evento o seu mais recente full-length, Red Eyes (2017), segundo da carreira, que, bem como o Far beyond Existence do Torture Squad, foi lançado pela gravadora britânica Secret Service Records. Em sua quase década de existência, a banda já coleciona apresentações por toda a América do Sul, executando um enérgico setlist ao lado de importantes nomes como Exodus (EUA), Krisiun, Warbringer (EUA) e Ratos de Porão. Quem comparecer, poderá conferir de perto as músicas do recém-lançado disco, marcado pela chegada à banda de Angélica “Burns” (vocals) e Felipe Modesto (bass). O álbum, caracterizado por alguns toques “modernos” na sonoridade, é rápido, pesado e direto ao ponto. Como aperitivo, o amante do Metal pode conferir os dois music videos que a banda produziu recentemente: My battle e Red Eyes.

2016-3-58bf1b568aa96-896x600

O Reckoning Hour apresentará ao público feirense o seu primeiro full, Between Death and Courage (2016). A banda carioca, formada em 2012, realiza no disco exemplares execuções, lideradas pelo afinado e versátil vocal de JP, do que se convencionou chamar de “heavy metal moderno”: termo extremamente polêmico, para dizer o mínimo. Os amantes do metalcore e de bandas como o Lamb of God (EUA) certamente se identificarão com a sonoridade do Reckoning Hour, extremamente bem feita, e recheada de cantos melódicos intercalados por guturais raivosos e linhas de guitarra muito criativas. O disco foi produzido com esmero por Adair Dalfembach, responsável pela condução de trabalhos de bandas como o Project 46.

15977837_1233122633421757_8187595539907557816_n

O nordeste estará muito bem representado pelo Warcursed (death/thrash metal). A banda de Campina Grande excursiona para promover o terceiro full-length, Stages of death (2017), lançado pela Eternal Hatred Records, que surge depois dos seus excelentes predecessores: Escape from nightmare (2012) e The last march (2014), e mantém altíssimo o nível das composições da banda. No álbum, são retratados com peso e brutalidade os diversos estágios da morte, a partir do Pallor Mortis (faixa de abertura), e finalizados com a Skeletonization (última track). A rápida e brutal Decomposition, divulgada recentemente em lyric video, é uma demonstração do poder sonoro destes paraibanos, evidenciando o apuro técnico das linhas de bateria de Marsell Senko, o entrosamento das cordas de Dudu Evsb e Richard Senko e a destruidora voz de Richard Senko, que assumiu neste disco os vocais da banda, e não deixou a desejar.

           

Serviço

Quem: Far beyond existence tour: Torture Squad, Hatefulmurder, Reckoning Hour e Warcursed.

Quando: Terça, 22 de agosto de 2017, a partir das 20h.

Onde: Offsina

Quanto: R$ 20

Para saber mais: https://www.facebook.com/events/644998715701999/

1
Padrão

NervoChaos e ColdBlood em Feira de Santana

Nervochaos e Cold Blood, duas das mais tradicionais bandas brasileiras de Death Metal, passarão por Feira de Santana no mês de julho. O evento é promovido pelo ThunderGod Zine e pelo Feira Coletivo.

2

            Em expressiva turnê nacional, o Nervochaos percorrerá 65 cidades de vários estados e regiões, com o objetivo de lançar Nyctophilia (2017), o recente álbum da banda, que há mais de duas décadas dedica-se ao Death Metal. Apesar de profundas mudanças na formação, o Nervochaos soube manter – e até mesmo incrementar, poder-se-ia dizer – a atmosfera agressiva e bestial do seu som. Os apreciadores do estilo poderão conferir de perto o resultado do obscuro e mortífero oitavo álbum desta tradicional banda paulistana, bem como, certamente, terão a oportunidade de bater cabeça ao som de clássicos oriundos dos trabalhos anteriores. Conhecido mundialmente, o Nervochaos já tocou em diversos países, e fará neste evento a sua segunda apresentação em Feira, depois de mais de dez anos.

            Estreando em terras feirenses, e acompanhando o Nervochaos na gigantesca turnê, se apresentará no mesmo dia outro importante nome do Death Metal brasileiro: Coldblood. A banda, fundada em 1992, é reconhecida pela atmosfera satânica de suas composições rápidas e letais, e impressiona pela carga sonora que é produzida pela exígua formação. Voz, guitarra e bateria, executadas pelos dois integrantes, Markus Couttinho e Diego Mercadante, se convertem em poderosos meios de profanação, com uma sonoridade marcante e original, que faz o apreciador do metal da morte se sentir em casa. O último disco, Indescribable Physiognomy of the Devil (2017), é uma prova de que o dueto carioca encontra-se em grande forma.

Serviço

Quem: Nervochaos e Coldblood

Quando: Terça, 25 de julho de 2017, a partir das 21h.

Onde: Offsina

Quanto: R$ 15,00

 

Padrão

Feira Noise recebe bandas veteranas da capital

Por Ana Clara Teixeira
Retrofoguetes 2015_2 (Foto por Ricardo Prado)

Um dos traços que o Feira Noise faz questão de manter em todas as edições é a presença de muitas atrações musicais da Bahia, tanto da capital quanto do interior, escolhidas por quem conhece e faz parte da cena. Em 2015, a seleção feita propõe um equilíbrio quantitativo entre nomes ainda pouco conhecidos e outros já consagrados. As bandas soteropolitanas Retrofoguetes e Cascadura, ambas de longas trajetórias, são os carros-chefe deste segundo grupo.

Os Retrofoguetes, que se apresentam no festival no dia 27, existem oficialmente desde 2002, quando remanescentes da formidável The Dead Billies decidiram fundar uma banda instrumental. As influências não saíram do perímetro do rock dos anos 50 e 60, mas o psychobilly outrora predominante foi perdendo espaço para um som calcado na surf music. No primeiro disco, Ativar Retrofoguetes! (2003), esse som é incrementado pelo rockabilly, resquícios de psychobilly e uma influência aguda da cultura pop. Em Chachachá (2009), o segundo lançamento, outras influências ficam mais à mostra do que no debut, como a música latina e o jazz.

Os trabalhos de estúdio trouxeram reconhecimento nacional e internacional. Os Retrofoguetes têm no currículo participações em eventos de grande importância, entre eles o Festival de Verão de Salvador, o Abril pro Rock, o Coquetel Molotov e o DoSol. As canções mereceram a atenção da MTV, da Rolling Stone Brasil, do circuito argentino de shows independentes e da Rádio BBC.

11129473_936223013075951_261771119_o

A banda Cascadura, fundada em 1992, é outra que não ficou somente no destaque regional. Seus cinco discos (#1 – 1997; Entre! – 1999; Vivendo em Grande Estilo – 2004; Bogary – 2006; e Aleluia – 2012) vão de uma ponta a outra da história do rock, entre os clássicos das primeiras décadas e os alternativos das duas décadas mais recentes. O talento do vocalista e guitarrista Fábio Cascadura, o responsável pelas composições, se demonstra também em parcerias com outros artistas, como Pitty, Nando Reis e os paulistanos da Tomada.

Este ano, depois de prêmios, turnês, festivais, o documentário Efeito Bogary (2009) e todo um legado construído para o rock independente da Bahia e do Brasil, a Cascadura anunciou o fim das atividades. O show no Feira Noise, confirmado para o dia 28, deve marcar sua última passagem por Feira de Santana. É a chance do público local de ver e rever uma banda que já está destinada a virar lenda.

Padrão

Inscrições para a Feira Camelô 2.0 estão abertas

804625_10205242428441617_662559847_n (1)

Chegue mais pro Camelô 2.0!

Um mundo de oportunidades para quem for ocupar um espaço em nossa feira, os empreendimentos e iniciativas culturais, criativas e/ou solidárias poderão expor ou comercializar produtos, serviços ou projetos para um público bacana que vai curtir o Feira Noise Festival 2015.

As inscrições estão abertas para empreendimentos e iniciativas nos campos das economias da cultura, criativa e/ou solidária, nas áreas de moda, design, arquitetura, desenvolvimento de softwares e jogos, quadrinhos, artesanato, cinema,música, entre tantas outras possibilidades.

Tem um produto ou serviço legal? quer vender ou expor? Inscreva-se :
www.feiracoletivo.com.br/

‪#‎FeiraMundo‬ ‪#‎GoCamelô‬

Link para Ficha de inscrição: https://banquinha.wufoo.com/…/feira-camela-20-feira-noise-…/

Link para o Regulamento: https://docs.google.com/…/1B8ZwW-E9RfyuIBlgyrIXVbLrnRQ…/edit

Clara Valente 09 B
Padrão

CLARA VALENTE PELA PRIMEIRA VEZ EM FEIRA DE SANTANA

Clara Valente 09 B

A carioca Clara Valente está confirmadíssima no ‪#‎FeiraNoise2015‬. A cantora iniciou em janeiro desse ano a turnê de lançamento do disco “Mil Coisas”, seu mais novo trabalho que será apresentado para Feira de Santana no nosso festival. O repertório autoral de “Mil Coisas” é uma performance musical vibrante, contemporânea e eclética, que vai do afrobeat ao tango, explorando referências nordestinas e eletrônicas. Clara faz ainda releituras e une canções do repertório da MBP como “Feminina” (Joyce Moreno) e “O Último Dia” (Paulinho Moska) e músicas como “Breakfast in America” (Supertramp) e “Stand Up” (Hindi Zahra) em total sintonia com o momento da música popular global.

 

 

ANELIS
Padrão

Feira Coletivo apresenta Anelis Assumpção

Show da cantora paulista acontece dia 1º de agosto e conta com abertura de Giovani Cidreira (Salvador) e Sergio Magno (Feira de Santana)

ANELIS

Pela primeira vez em Feira de Santana, a cantora paulista Anelis Assumpção leva o show da sua turnê Amigos Imaginários ao Antiquario Pub no dia 1º de agosto de 2015 (sábado), a partir das 22h. A noite conta ainda com show de abertura de Giovani Cidreira e Sergio Magno. Os ingressos antecipados custam R$20.

Considerada um dos grandes nomes da nova MPB, Anelis lançou em 2014 seu segundo disco em carreira solo, “Anelis Assumpção e os Amigos Imaginários”, pelo qual já ganhou alguns prêmios e já circulou por diversas cidades do Brasil. Anelis é filha do grande compositor paulistano Itamar Assumpção, e vem trilhando sua carreira independente do nome do pai, com seu estilo voltado pra MPB com fortes traços da blackmusic.

O trabalho foi produzido pela cantora e pelos músicos Bruno Buarque, Cris Scabello, MAU e Zé Nigro. Uma produção coletiva e certeira que é sentida sutilmente na assinatura individual de cada um. Não pra menos, eles fazem parte da banda que acompanha Anelis desde o começo de sua carreira solo e que agora dá nome ao disco: ‘Anelis Assumpção e os Amigos Imaginários’.

Além dos rapazes, a banda conta com a guitarrista Lelena Anhaia e o trombonista Edy Trombone. Essa liga coesa entre pessoas que tem intimidade e compatibilidade sonora e gentileza poética para transitar entre os versos e frases sugeridas por Anelis, fazem a diferença absoluta para a sonoridade do disco. Eles se completam. Anelis e seu bando trocam fluidos a cada frame canção. E se divertem. Um disco de bando. Um som de banda.

Sobre Giovani Cidreira


giovani_por-ana-camila-1_header1

O soteropolitano Giovani Cidreira iniciou sua carreira musical em 2006, como vocalista da banda Velotroz. Desde então, desenvolveu seu trabalho como compositor e arranjador, que tem como base um híbrido de rock contemporâneo com claras influências da música popular brasileira dos anos setenta, além de sonoridades contemporâneas das mais diversas localidades.

Seu trabalho, essencialmente autobiográfico, dialoga diretamente com a literatura, o audiovisual e as artes visuais, mesclando os elementos culturais diversificados que compõem o seu repertório.

Em novembro de 2014, Giovani Cidreira lançou o primeiro registro de suas canções como artista solo. Produzido no Estúdio Caverna do Som, o EP apresenta sete faixas, entre as quais “Ancohuma”, premiada como melhor música com letra pelo XII Festival de Música da Educadora FM. O disco está disponível no site: www.giovanicidreira.com

Sobre Sergio Magno

SM 2

Sergio Magno é um artista da MPB, mas essa é apenas uma classificação, não é um limite. Suas músicas versam sobre a simplicidade do cotidiano, vivências e sobre o amor em todas as suas manifestações. Lançou seu primeiro EP em 2007, quase um acústico, fruto da vontade de registrar o que só os amigos e os bares da cidade (a essa altura, Araci) conheciam. Em 2011 lançou o EP “À Moda Antiga”, quando já morava em Feira de Santana. Nos anos de 2012 e 2013 iniciou parceria com a Unidade de Guerrilha (rap), Clube de Patifes (blues/rock) e foi convidado para participar de um projeto especial com um dos mais respeitados músicos feirenses, Dionorina. Atualmente ele trabalha na produção do seu primeiro fulllenght, do qual o single “Quis”, lançado no início de 2014, faz parte. O álbum já tem nome, “O Que Restou das Aulas de Violão”, exatamente aquelas da adolescência.

SERVIÇO

Feira Coletivo apresenta Anelis Assumpçãoe os Amigos Imaginários

Abertura: Giovani Cidreira (Salvador) e Sergio Magno (Feira de Santana)

Dia 1º de agosto de 2015 (sábado), às 22h

Antiquário Pub

Ingressos antecipado: R$20

Padrão

Chá de Conversa e Som será retomado com discussão sobre as dimensões da Independência da Bahia

11181181_954952991223655_7172977262024218942_n

Com o tema “Independência da Bahia: entre o histórico e o simbólico”, apresentado pelo historiador Sérgio Guerra, professor da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), será retomado depois de pouco mais de um ano e meio o projeto Chá de Conversa e Som.

A atividade será realizada na sexta-feira (24), a partir das 19h30, no Museu de Arte Contemporânea (MAC), de Feira de Santana. Durante o encontro serão exibidos vídeo produzidos pela TV Olhos D’Água referentes à temática principal desta edição do evento.

O destaque musical do 16º Chá ficará por conta de Jefferson Moura e Matheus Mathyara, que além de canções autorais, interpretarão releituras de composições que possuem correlação com a história da Bahia.

O Chá

O Chá de Conversa e Som é um evento da sociedade civil, de acesso gratuito e classificação livre e fundamenta-se em encontros mensais temáticos para “bate-papos” que girem em torno da cultura feirense, territorial e estadual.

A atividade é organizada pelo Coletivo Chá, composto pelo artista plástico e percussionista Gabriel Ferreira, historiador e mestre de capoeira angola Bel Pires (Grupo de Pesquisa Populações Negras/Uneb), radiojornalista e coordenador da TV Olhos D’Água da Uefs Elsimar Pondé e pelo artista visual Edson Machado.

SERVIÇO

O que: Chá de Conversa e Som – 16ª edição
Quando: Sexta-feira, 24 de julho de 2015, às 19h30
Onde: MAC – Museu de Arte Contemporânea – Rua Geminiano Costa, nº 255, Centro, ao lado da Biblioteca Municipal – Feira de Santana
Realização: Coletivo Chá
Entrada, chá e torrada: Gratuitos

Padrão

Dingo Bells (RS) se apresenta pela primeira vez em Feira de Santana

11083951_821906464525715_505884416815667067_o

De Porto Alegre, e em seu primeiro show em Feira de Santana, a Dingo Bells apresenta “Maravilhas da Vida Moderna”, álbum que já ganhou a simpatia de publicações como Folha de S.Paulo, O Globo, Rolling Stone, Zero Hora e O Estado de S. Paulo, e garantiu shows lotados nas capitais gaúcha e paulista.

Lançado em abril, “Maravilhas…” é resultado de um cuidadoso e inspirado trabalho em estúdio, conduzido pelo produtor Marcelo Fruet (Apanhador Só). Da pré-produção à masterização, o trio gaúcho levou um ano para finalizar o disco.

Agora, entrega arranjos sofisticados e de forte apelo pop, harmonias vocais expressivas, melodias dançantes (que flertam com a soul music) e letras reflexivas sobre angústias contemporâneas — e completa o pacote com participações especiais de Felipe Zancanaro (Apanhador Só), Ricardo Fischmann (Selton) e Tomás Oliveira (Mustache & Os Apaches), entre outros.

Sem pressa, e com grande reconhecimento na cidade de origem, Rodrigo Fischmann (voz e bateria), Felipe Kautz (voz e baixo) e Diogo Brochmann (voz e guitarra) surgem em 2015 como surpreendente aposta nacional.

Ouça:
www.dingobells.com.br

Padrão

Feira Coletivo promove oficinas de qualificação em produção musical em três cidades baianas

OFICINA

Cursos fazem parte das ações do Feira Noise Festival, que aconteceu no último novembro

 No mês de abril, o Feira Coletivo promove a oficina de Gestão e Produção Musical nas cidades de São Gonçalo, Irará e Amélia Rodrigues. Com o objetivo de qualificar novos agentes culturais na região, o curso busca desenvolver uma troca de experiências a partir dos eixos que compõem a cadeia produtiva da música. As inscrições são gratuitas e estão abertas no período de 6 a 10 de Abril para moradores de qualquer cidade do Território Portal do Sertão.

Os músicos Dimmy Drummer e a produtora Ana Camila são os facilitadores da oficina, que percorrerá temas relacionados à criação, produção, financiamento, formação e distribuição/circulação de produtos musicais. Tanto Ana Camila como Dimmy Drummer têm larga experiência como produtores de bandas e como agentes de shows e turnês. Com 08 horas de duração, a oficina pretende oferecer ao seu público-alvo noções aprofundadas sobre as diversas ações da produção musical no estado da Bahia.

A primeira parte da oficina, a cargo de Ana Camila, apresenta uma introdução à economia da música, passando pelos conceitos de criação e produção, além de falar sobre financiamento e ferramentas de comunicação que garantem o êxito das produções. na segunda parte, Dimmy trata das questões voltadas para a circulação de bandas e distribuição de material, as várias formas possíveis de formação de público atualmente e as parcerias possíveis para viabilizar turnês e fazer o produto circular.

A oficina é uma realização do Feira Coletivo, como parte das ações do Feira Noise Festival, festival de artes integradas que promoveu 30 shows musicais, 10 apresentações de dança, 02 mesas redondas em novembro de 2014, em Feira de Santana.

 SERVIÇO

 Oficina de Gestão e Produção Musical

São Gonçalo

Dia 10 de abril (sexta-feira), das 8h às 18h

Local: Espaço Popular, na praça J.J Seabra, Centro da cidade de São Gonçalo

Irará

Dia 11 de abril (sábado), das 8h às 18h

Local: Rua Pedro de Lima, 32, Centro

Amélia Rodrigues

Dia 17 de abril (sexta), das 8h às 18h

Local: A Definir

Inscrições gratuitas

Inscrições gratuitas

(http://www.feiranoisefestival.com.br/oficinas/)

Informações: (75) 9126 – 0049 | 71 9137-3438 – e-mail: feiracoletivo@gmail.com

Realização: Feira Coletivo

Sobre Dimmy Drummer:

Produtor cultural, baterista da banda instrumental Vendo 147, atuou como coordenador do núcleo de música e circulação do Coletivo Quina Cultural, tour manager, palestrante nas áreas de produção e gestão musical independente e coordenação de palco (staff).

Sobre Ana Camila:

Ana Camila trabalha com produção cultural na Bahia e no Rio de Janeiro. À frente da Ana Camila – Comunicação & Cultura, desenvolve projetos com bandas e artistas independentes de todo o país, com foco nas duas capitais mencionadas, atuando nas áreas de desenvolvimento, criação e execução de projetos, agenciamento e produção executiva, com foco na música. Atualmente está à frente das carreiras de Giovani Cidreira e Candice Fiais.

Narrativas Poéticas
Padrão

Projeto “Narrativas Poéticas em videoarte desde América Latina” passa por Feira de Santana

Karina Rabinovitz e Silvana Rezende - Foto: Cátia Milena/ Divulgação.

Karina Rabinovitz e Silvana Rezende – Foto: Cátia Milena/ Divulgação.

Em parceria com a DiaboA4 Editora, as soteropolitanas  Karina Rabinovitz (poetisa) e Silvana Rezende (videasta) trazem para Feira de Santana uma mostra do projeto que vêm desenvolvendo juntas aliando poesia e videoarte. A ideia é compartilhar todo o processo de investigação artística: a pesquisa, criação e realização audiovisual (videoarte) em países da América Latina e participação em Festivais e Mostras de Vídeos, passando pelo Uruguai, Argentina, Equador e Chile. Além disso, os videopoemas serão exibidos e, por fim, será promovido um debate sobre a presença da arte em nossas vidas, as formas e métodos de criação em videoarte, o pensamento latino-americano e a relação arte e cultura.

O projeto “Narrativas Poéticas em Videoarte desde América Latina” foi selecionado no Edital Setorial de Artes Visuais/2012, da Fundação Cultural, através da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia.

Karina Rabinovitz: http://www.karinarabinovitz.blogspot.com.br/

Silvana Rezende: http://silvanarezende.wordpress.com/

 

Serviço

O quê: Mostra “Narrativas Poéticas em videoarte desde América Latina”

Quando: 25/11 | 15h

Onde: MAC  –  Museu de Arte Contemporânea Raimundo de Oliveira | Rua Geminiano Costa, 255 – Centro