Página 1
facebook
Padrão

[Grito Rock] Abertas inscrições para Oficinas Gratuitas

Nesta edição do Grito Rock Feira de Santana, o Feira Coletivo vai ampliar as ações oferecendo Oficinas Gratuitas para a comunidade.

Serão 3 oficinas, de Fotografia, Cinema e Dança, que acontecerão no CUCA – Centro Universitário de Cultura e Arte, no dia 22 de março, próximo sábado, das 8h às 12h. Os alunos inscritos receberão certificado de 4h de participação.

Atenção: as três oficinas irão acontecer ao mesmo tempo no mesmo horário, então só é possível se inscrever em uma oficina.

Esta ação vai encerrar as atividades do Grito Rock Feira de Santana 2014. Participe!

Saiba mais sobre as oficinas e os professores:

* (INSCRIÇÕES ENCERRADAS)

Oficina Cinema

 

OFICINA DE HISTÓRIA DO CINEMA

Prof. Alan Magalhães

Através de uma análise do filme ‘A invenção de Hugo Cabret’, o prof. abordará todas as fases das descobertas que levaram a criação do cinema como conhecemos.

Sobre o professor

Alan Magalhães é graduando em Cinema na UFRB, com formação técnica em design gráfico. Atualmente é sócio na Apronto Comunicação e proprietário da Camguru Filmes. Atua no mercado desde de 2004, onde começou como produtor e editor em agências de publicidade foi produtor na Mérito Comunicação e produtor e editor na ZAZ Comunicação. Trabalhando com filmagem também em alguns eventos, fez vídeos ligados a moda, documentários institucionais (a exemplo da Faculdade UNEF) e possui um foco voltado para artistas feirenses, já tendo feito vídeos para os artistas: Paulo Costa, Trupe Mandhala, Diabo A4 Editora, Clube de Patifes, Novelta, entre outros. Atua de forma colaborativa no Feira Coletivo Cultural, experimentando, aprendendo e passando adiante um pouco de sua experiência.

 

Oficina Fotografia

 

OFICINA DE FORMAÇÃO EM FOTOGRAFIA DIGITAL

Prof. Pedro Henrique Caldas

Antes de adquirir uma câmera digital é importante você tomar algumas decisões e fazer algumas análises a respeito das suas expectativas como fotógrafo.

Nesta oficina serão analisadas os tipos de câmeras bem como suas características e funções e o melhor custo/benefício para adquirir sua câmera, ou entender melhor a câmera que já possui, explorando totalmente seu potencial.

Sobre o Professor

Pedro Henrique Caldas tem 28 anos e desde 2009 usa a fotografia como arte para se expressar, atuando principalmente na área cultura de Feira de Santana pelo Feira Coletivo Cultural. Tem formação em Fotografia pelas Oficinas do CUCA-UEFS e LABFOTO-UFBA.

 

 

Oficina Dança DPR_n

 

 

OFICINA DE DANÇAS POPULARES REGIONAIS

Profª Lyara Brito

O foco da Oficina será o trabalho coreográfico com algumas manifestações de danças populares Brasileiras.

*Maracatu – Um ritmo musical com dança típica da região pernambucana. Reúne uma interessante mistura de elementos culturais afro-brasileiros, indígenas e europeus, possui uma forte característica religiosa. Os bailarinos representam personagens históricos (duques, duquesas, embaixadores, reis e rainha) em um cortejo que é acompanhado por uma banda com instrumentos de percussão.

*Baião – Típica da região do Nordeste, a dança ocorre em pares com movimentos parecidos com o forró.

*Catira – Conhecida também como cateretê é uma dança caracterizada pelos passos, batidas de pés e palmas dos dançarinos. Típica da região interior dos estados de São Paulo, Paraná, Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso.

*Ciranda – é um tipo de dança e música de Pernambuco, originada no nordeste mais precisamente em Itamaracá pelas mulheres de pescadores que cantavam e dançavam esperando a volta deles do mar.

*Frevo – Espécie de marchinha muito acelerada, não possui letra e os bailarinos usam geralmente um pequeno guarda-chuva colorido como elemento coreográfico.

Sobre a professora

Antonia Lyara Brito é estudante de Filosofia pela Universidade Estadual de Feira de Santana e Dança pela Funceb. É bailarina e coreógrafa da Trupe Mandhala e também umas de suas fundadoras, bailarina intérprete da Cia. Denys Silva do BTCA/Extensão e fez parte da extinta Trupe Yonah primeiro grupo de dança Tribal da cidade de Feira de Santana-BA.
Lecionou na Academia Earte, Academia Arte de Dançar, Sport Life e em alguns colégios da rede estadual e municipal pelo Projeto Mais Educação que leva artes integradas para os alunos. Tem como trabalho de pesquisa as fusões entre danças orientais e outras hibridações, usando como principais inspirações as Danças Populares Regionais, danças de rua, dança contemporânea, ragga, azonto.

_________________________________________________

INSCRIÇÕES ENCERRADAS

Fotografia Digital: http://bit.ly/1qMkBoJ 

História do Cinema: http://bit.ly/1iWxPdi

Danças Populares Regionais: http://bit.ly/1lIuiB3

NFdE
Padrão

Uma Noite Fora do Eixo e com muita distorção

NFdE

Dia 29 de março, sexta-feira de feriadão, o Feira Coletivo convida o público pra espantar a maresia depois do caruru na casa de vovó com arte subversiva na primeira Noite Fora do Eixo de 2013, que vai acontecer no Offsina Music Lounge. A receita é cheia de más intenções (no melhor dos sentidos!): rock’n’roll com as bandas Novelta (FSA), Monster Coyote (RN) e Inventura (Alagoinhas), relançamento da antologia de poesia erótica “Delícias, Delírios e Danações” da DiaboA4 Editora, além de performance especial e apimentada da Trupe Mandhala.
A banda feirense Novelta insere o cotidiano nordestino em suas composições, assim como Gonzaga e Dominguinhos, mas o arrasta-pé passa longe do som dos caras, o negócio deles é Stoner Rock sujo e mal-encarado. Outra que não está na cena pra suavizar é a Monster Coyote, Sludge/Stoner Metal de Mossoró (RN) que carrega todo peso do estilo tanto nas letras quanto na guitarra carregada de fuzz, no baixo com grave levado a sério e na bateria tocada sem pena de tímpanos desavisados. Quem também vai direto ao assunto nesse tal de rock’n’roll é a Inventura, power trio de Alagoinhas que foi um dos destaques do Grito Rock’13 e vem de novo porque percebeu que aqui em Feira o bicho pega de verdade!
A DiaboA4 Editora não pede licença pra ser poética, chegou chutando a porta com sua primeira publicação “Delícias, Delírios e Danações”, a invasão dos novos poetas foi tão bem aceita que a antologia vai ser relançada. Pra completar a noite, o pezinho do Feira Coletivo na dança, a Trupe Mandhala, preparou uma performance especial pro evento. E aproveite os intervalos pra passar na Banquinha, ela vai estar lá, descoladíssima como sempre!

Serviço:

O quê: Noite Fora do Eixo
Quando: 29/03 | 20h
Onde: Offsina Music Lounge – Rua Sabino Silva, 81 – Centro / Feira de Santana
Quanto: R$ 10 (ingressos na portaria)
Confirme presença: http://goo.gl/WQD3L

 

 

 

LdeC Feira
Padrão

Coletivo de Dança Contemporânea de Juazeiro realiza atividades gratuitas em Feira de Santana

LdeC Feira-02-02

O 1º Liquidificador de Corpos consiste em uma mostra de Dança Contemporânea, onde dois coletivos (Coletivo Trippé e Coletivo InComum) se encontram para expor as suas mais novas criações e experimentos cênicos. Um misto de linguagens e processos diversificados, como uma vitamina de ideias que unem em uma só noite as mais diferentes temáticas, trazendo a cena uma reflexão sobre o que se faz na dança contemporânea do Norte baiano.

ATIVIDADES GRATUITAS

Intervenção Urbana – Praça de Alimentação – às 17h
Mostra Coreográfica – Teatro da CDL às 20h

Oficina – CDL – das 14h às 16h

Confirme sua presença enviando seu nome completo para o e-mail trupemandhala@yahoo.com.br

 

FICHA TÉCNICA
Coordenador geral: Adriano Alves
Produtora executiva: Nilzete Miranda
Produtora do Trippé: Regiane Nascimento
Produção em Feira de Santana: Trupe Mandhala e Feira Coletivo

282983_464191983594029_816425414_n
Padrão

Bailares começa oficialmente neste sábado

Os primeiros workshops do Bailares vão acontecer neste fim de semana no Maestro Miro. Sábado acontecerá o workshop de Dança Afro com a professora Carmem Silva, das 15h às 17h, e domingo é a vez da aula de street dance em duas turmas, das 14h às 16h e das 16h às 18h, com o professor Renato Brandees.

Cerca de 130 pessoas se inscreveram para as primeiras aulas que fazem a abertura do evento Bailares, que está sendo promovido pela Trupe Mandhala através do apoio institucional do Calendário das Artes, da Fundação Cultural do Estado da Bahia (FUNCEB), unidade da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA).

As inscrições para os workshops estão acontecendo por etapas, e a próxima será aberta no dia 16/07 (segunda-feira), possibilitando as inscrições para as aulas de Expressão Corporal com a professora Mitsuyana Matsuno e de Danças Populares Regionais com os professores Lyara Brito e Júlio Silva, a serem ministrados nos dias 21 e 22 de julho. Além destas, haverá ainda mais 10 workshops que serão realizados durante julho e agosto, sempre aos finais de semana.

Acesse http://bailaresfsa.blogspot.com.br e fique por dentro do evento mais dançante de Feira de Santana.

Cartaz geral
Padrão

Conheça o Bailares, o evento mais dançante de Feira de Santana

 

A Trupe Mandhala, grupo experimental de Dança Étnica Contemporânea, e Ponto de Linguagem da Dança no Feira Coletivo Cultural, realiza o evento Bailares, uma iniciativa única com o intuito de promover a dança em nossa cidade, divulgar o trabalho de bailarinos independentes e proporcionar ao público em geral o contato e qualificação em diversos tipos de dança.

Com uma programação variada de quase dois meses de duração, o Bailares contará com workshops, show e ação social. Os workshops serão inteiramente gratuitos e acontecerão nos meses de julho e agosto no Centro de Cultura Maestro Miro. As aulas terão vagas limitadas e as inscrições estão acontecendo por etapa através do site do evento.

Na programação dos workshops, o Bailares trará:

Indian Fusion – Bela Saffe (SSA)
Dança do Ventre – Fernanda Guerreiro (SSA)
Tribal Fusion – Joline Andrade (SSA)
Dança Contemporânea – Jeferson Akenaton (FSA)
Dança Tribal (iniciante) – Trupe Mandhala (FSA)
Dança Afro – Carmem Silva (FSA)
Dança de Salão – Saulo Rangel e Adrise Nogueira (FSA)
Ragga – Caroline Arcade (França)
Dança Kuduro – Edy Firenza (SSA)
Danças Populares Regionais – Lyara Brito (FSA) e Júlio Silva (SSA)
Expressão Corporal – Mitsuyana Matsuno (FSA)
Street Dance – Renato Torres Brandees (FSA)
Dança Moderna – Aline Brito (FSA)
Swing Baiano – Darlan Hilton (FSA)
Condicionamento Físico para Bailarinos e Introdução à Cinesiologia – Mari Falcão (FSA)

Além dos workshops, haverá também a realização de uma ação social com oficina e mostra de dança na Associação Comunitária e Centro de Apoio ao Adolescente localizado no Parque Lagoa do Subaé no final de agosto.

O encerramento do Bailares será com show de gala, com entrada franca, que acontecerá no dia 18 de agosto e contará com a apresentação dos professores dos workshops, e também com a presença de bailarinos de Vitória da Conquista, Morro do Chapéu, Serrinha, Cachoeira, Salvador e Feira de Santana, trazendo coreografias de diversos ritmos e estilos que vão entreter e encantar a todos.

Para saber todas as informações sobre o evento mais dançante da cidade, acesse e curta a página no facebook- www.facebook.com/Bailares e visite o site – bailaresfsa.blogspot.com.br

O projeto Bailares tem apoio do Calendário das Artes, da Fundação Cultural do Estado da Bahia (FUNCEB), unidade da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA).

O Bailares é para todos que têm amor à dança, que têm amor à arte. Sejam bem-vindos. O Bailares é de vocês!

Padrão

Bailarinos se reúnem para celebrar a Dança

Durante o mês de abril comemoramos o mês da dança, e o dia 29/04 é o Dia Internacional da Dança, data instituída pelo Comitê Internacional da Dança da UNESCO em 1982. Este dia foi escolhido em homenagem ao nascimento de Jean-Georges Noverre, o criador do Balé Moderno.

Mostra Casa Aberta – Festival Vivadança – Lyara Brito apresenta o Charleston Fusion | Fotografia João Meireles

Durante este mês ocorreu em todo o mundo eventos para celebrar essa arte tão peculiar.

Em Salvador aconteceu o Festival Internacional Vivadança, que segue agora durante o mês de maio para outras cidades. Dentre as atividades do Festival, aconteceu a Mostra Casa Aberta no Teatro Vila Velha onde a Trupe Mandhala foi selecionada para apresentar o solo intitulado Charleston Fusion, aprovado pelo público e pela crítica.

     

Aconteceu também o Abriu Dança na Bahia, projeto idealizado por Anderson Rodrigo com coordenação de Bruno de Jesus, que foi realizado em Salvador, Camaçari, Lauro de Freitas, Valença, Juazeiro e Feira de Santana oferecendo oficinas gratuitas, diálogos e apresentações. Na etapa de Feira, no dia 28/04, se apresentaram os Grupos Hunters Crew, Trupe Mandhala, Academia Arte de Dançar e Sidinha Damasceno, além de Lukas de Jesus, Inah Irenam e Bruno de Jesus, integrantes da produção do evento.

    

Ainda em Feira, no dia 29/04 houve a inauguração do Espaço de Dança Odara Akenaton,  onde será ministrado aulas regulares de Dança do Ventre, Condicionamento  Físico e Cinesiologia com professores diversos, além de ser o novo espaço de ensaio da Trupe Mandhala. 

E finalizando as ações, no dia 1º de maio a Trupe Mandhala, o grupo Kiken-Sei, Hunters Crew e Academia Arte de Dançar se uniram para realizar uma intervenção urbana na Avenida Getúlio Vargas em comemoração à dança, abrindo uma nova etapa de atividades do Projeto Impulso, proposta idealizada pela Trupe Mandhala que mostra como a dança pode interagir e dialogar com diversas formas de expressão artística. 

O resultado desta intervenção será apresentado em um vídeo que será lançado em breve.

Aguardem pessoal!!!

Padrão

Confirmada participação da Trupe Mandhala no Abriu Dança na Bahia


 

Chega a Feira de Santana mais uma vez o projeto AbriU Dança na Bahia, que promove conexões entre as diversas manifestações da dança. O Abriu Dança na Bahia propõe ações que potencializam e valorizam os Grupos, Companhias e Profissionais da dança baiana, com diálogos e conexões de fazeres artísticos diversos.

Além das apresentações no palco, serão realizadas oficinas, diálogos entre artistas, técnicos, produtores e profissionais da dança. O objetivo é abrir novas possibilidades de intercâmbios e fusão, criando diálogos com profissionais de diferentes experiências artísticas.

O festival ocorre simultaneamente nas cidades de Salvador, Lauro de Freitas, Valença, Juazeiro, Camaçari e Feira de Santana, sendo parte das celebrações do Dia Internacional da Dança (29/04).

O objetivo é abrir novas possibilidades de intercâmbios e fusão, criando diálogos com profissionais de diferentes experiências artísticas. O Abriu Dança na Bahia propõe ações que potencializam e valorizam os Grupos, Companhias e Profissionais da dança baiana, com diálogos e conexões de fazeres artísticos diversos.

 

A programação das apresentações em Feira de Santana vai contar com a participação da Trupe Mandhala, Grupo Hunters Crew, Academia Arte de Dançar, Sidileila Damasceno entre outros.

 

Local: Auditório do SEST SENAT

Dia:  28 de abril de 2012

Horário: 19:00h

Valor: R$ 4,00 (inteira) e R$ 2,00 (meia)

Padrão

Under Tribus 2, Todo Mundo por um Ideal: A arte!

Assim foi o Under Tribus reunindo pela segunda vez as “Tribus” que gostam de rock’n roll, dança, poesia, audiovisual e gente alternativa, integrando um conjunto de ações de um projeto maior chamado “Impulso” que tem promoção da Trupe Mandhala Fusion e apoio do Feira Coletivo Cultural.

O evento é uma oportunidade de intercambio entre artes e pessoas que normalmente estariam separadas cada um curtindo a sua “vibe” como se diz no jargão popular dos jovens da geração internet, mas a proposta transformou o espaço do Botekim Tematic Bar num grande encontro cultural no qual todos compartilharam da mesma energia em nome da cultura e da arte.

O evento foi aberto por uma exibição de curtas, seguido por recital de poesias, musica ao vivo, e apresentações de danças.

Para a bailarina da Trupe Mandhala Fusion Viviane Macedo, o evento atendeu às expectativas uma vez que a Trupe Mandhala também tem a intenção de formar público apreciador da arte de dançar e essa é a oportunidade criada para integrar pessoas que apreciam outras formas de arte a conhecerem o trabalho desenvolvido pelo grupo. “Nós precisamos levantar a bandeira da cultura” completou Viviane.

O músico e jornalista Cid Fiuza defende a bandeira dos músicos em sua cobertura para o site Página Sonora, mas reconhece que a fusão de outras linguagens no mesmo espaço reforça o público e fortalece o movimento.

Uma grande demonstração de compromisso e profissionalismo foi dado pela banda feirense “Casa de Vento” que tocou mesmo com o vocalista estando acometido por dengue sendo a mesma diagnosticada naquele mesmo dia pelo médico do músico. Mas isso não tirou o brilho da apresentação e renovou a credibilidade da banda com o público e com a música de Feira de Santana.

A Banda Lunata fez uma apresentação que agradou geral pelo repertório mesclado com musicas autorais e sucessos consagrados de artistas como: Mutantes, Amy WhineHouse, The Beatles entre outros e pela qualidade musical.

A vocalista Ju Moreira falou da satisfação de se apresentar em Feira visto que, aquele era o primeiro show da banda fora de Salvador. E parabenizou o Under pela mistura de público e artes e completou dizendo… “Salvador deveria ter eventos como esse…”

Fechando as apresentações musicais da noite a Banda Vanda Luz de Minas Gerais trouxe uma performance diferente intercalando músicas com imagens e mensagens de protesto às diversas alienações vendidas pelos veículos midiáticos tradicionais e situação vergonhosa que o mundo vive em esferas como a política, a fome, a guerra, a corrupção e demais mazelas sociais…

Eu o colunista costumo pensar em uma festa com visão global, ou seja, a festa começa a partir de quando se tem a primeira idéia, e o restante são etapas vencidas e executadas até se chegar à concepção da mesma, mas uma festa, evento ou atividade não acaba ao final do que estava programado no script, ela geralmente continua existindo em outra esfera. Uma vez que, enquanto se fala, se reporta, ou se sente saudades o evento continua existindo… Ou alguém arrisca dizer que o Woodstock acabou, que o Rock in Rio de 1985 teve realmente fim, ou mesmo que a nossa Micareta vai desaparecer da lembrança e da alma do povo feirense. Pois bem, diante disso acabou uma das fazes do Under Tribus e todo mundo corre para as redes sociais para ver fotos, fazer comentários e também estreitar contatos, separamos alguns comentários postados na rede social:

Luh Almeida: – “eu gostei de ver as novas e inspiradas coreografias da Trupe Mandala Fusion, gostei muito da energia dos meninos (e menina) que dançaram street dance e me surpreendi com o som/protesto da banda Vandaluz! [ahhh eu gostei de tudo hahaha]”

Venus Carvalho: – “um evento lindo, bem produzido e muito rico. geralmente a maioria das pessoas vêem eventos de arte como uma coisa chata ou cansativa, o Under Tribos e todos que fizeram acontecer confirmaram que arte e cultura pode sim ser divertido e não algo para poucos com braços cruzados e mão no queixo. novamente parabéns pela iniciativa!”

Lyara Brito: – Obrigada a minhas queridas amigas Mari, Vika e Dea por dar vida a Trupe Mandhala, Obrigada ao pessoal do Feira Coletivo, beijos especiais para Joilson Santos, Leidi Kitai, Luh Almeida, Meninos da banda Casa de Vento, Marcus da Luz, Botekim Tematic, as bandas Lunata, e Vandaluz e todossss que estiveram presentes e fizeram do Under Tribus II edição um sucessão. Estou orgulhosa por demais!!!!”

Viviane Macedo: – Gostei de ver a galera curtindo o evento!!! Isso, sem contar as bandas muuuito boas!”

Lyara Brito: – Eu achei o evento maravilhoso, com uma qualidade de atrações impecavel, na dança e na música, decoração o espaço do bar para as apresentações, tudoo, isso mostra que a cada ano vamos desenvolvendo um trabalhado cuidadosamente mais bem feito, alem de que tínhamos um publico lá na noite, que foram para assistir a Trupe, ou seja, já estamos formando nosso publico uhuuuuuu”

Fernanda Matos: – O Under Tribus II foi lindo demais!!! Curtas, poesia, dança, música…. Espero que venham muitos outros^^ Parabéns a todos os artistas, ao pessoal do Feira Coletivo e todo mundo que de alguma forma contribuiu pro sucesso do evento=) Ahhh, parabéns também pela decoração, estava perfeita;D

Viviane Macedo: ADooooro

Emerson Azevedo: A vontade de fazer as coisas acontecerem aliados a pessoas competentes e parceiros comprometidos resulta em sucesso… Parabéns a todos participantes e apoiadores desse projeto que eu tenho certeza vai ganhar maiores proporções…

Emerson Azevedo:, com certeza o evento será cada vez maior e melhor o/

Carmem Silva: Parabéns meninas,foi muito bom.
Carmem Silva: Muito brilho, como sempre
Carmem Silva: Muito obrigada pelo apoio,no III ENCONTRO DA MULHER NEGRA 1000BEIJOSSSSSSSSS. SORTE SEMPRE

Programa Ponto A Ponto: PARABÉNS À CULTURA DE FEIRA DE SANTANA QUE TEM CRESCIDO GRAÇAS A AÇÕES E EVENTOS COMO ESSE – UNDER TRIBUS !!!

Terra de Lucas: O Portal Terra de Lucas esteve presente apoiando mais essa manifestação cultural de Feira de Santana e está parabenizando a todos os organizadores (as), parceiros, incentivadores, público presente e demais pessoas que trabalharam para que ele acontecesse… Nossos sinceros votos de SUCESSO SEMPRE… E contem sempre com o Portal de Cultura de Feira de Santana – Terra de Lucas !!!

Mary Figuerêdo Anairam Strix: É isso aí…graças a todos vocês que de tudo certo. ^^

Lyara Brito: Com certeza, a união sempre fará a força!!

Botekim Tematic: O Botekim Tematic está aberto a essas parcerias.

Fernanda Matos: Foi tudo muito lindo^^ Nós(falo em nome do público) que agradecemos por mais essa oportunidade de apreciar a arte em suas diversas vertentes… E que venham os próximos!!!!!

Lyara Brito: Obrigada a minhas queridas amigas Mari, Vika e Dea por dar vida a Trupe Mandhala, Obrigada ao pessoal do Feira Coletivo, beijos especiais para Joilson Santos, Leidi Kitai, Luh Almeida, Meninos da banda Casa de Vento, Marcus da Luz, Botekim Tematic, as bandas Lunata, e Vandaluz e todossss que estiveram presentes e fizeram do Under Tribus II edição um sucessão. Estou orgulhosa por demais!!!!

Mary Figuerêdo Anairam Strix: – “Como uma das organizadoras do evento, eu estou muito satisfeita pq estamos a cada evento conseguindo cumprir nosso ideal no projeto impulso, de proporcionar ao público uma interação entre diversas formas de expressão artística. O público tem respondido bem aos eventos da Trupe, mesmo que ainda com poucos eventos já temos uma galera que já tá acompanhando o trabalho.

As parcerias estão mais facilitadas, à medida que vamos demonstrando nossa força de vontade em fazer eventos bons que tenham um diferencial. E isso nos dá ainda mais força para continuarmos neste caminho de divulgar a dança, que não é tão fácil.

Fazer parte do Feira Coletivo Cultural é um fator positivo também pois estamos ampliando nossas possibilidades de parcerias e de produção de eventos também.

Da parte da dança, tem a galera que já é super parceira nossa, como a Academia Arte de Dançar, Jefi Akenaton que participaram desta 2ª edição e outros como Carmen Silva, André Suzarte, Mhary Falcão que não puderam participar da 2ª edição mas estão sempre presente nos eventos, seja se apresentando ou dando seu apoio.

E tem os recém chegados da dança como o João Victor, Grupo Urban Style e a Shanna Lobo que conhecemos recentemente e são talentosíssimos. Esperamos que sejam parcerias duráveis também, pois tem tudo para dar certo.

Outra atração que foi muito legal foi o recital de poemas com Ederval Fernandes da Coleção Nova Letra e a exibição de Curtas com Marcio Junqueira. Teve curta relacionado à dança, e o recital trouxe a beleza da poesia que o Ederval faz. Teve atração para todo gosto.

E eu espero que o pessoal que foi ao evento tenha curtido toda essa interação. Ano que vem tem mais galera o/”

Acesse e veja a cobertura fotográfica:
http://www.terradelucas.com.br/emerson-azevedo-observac-es-culturais/under-tribus-ii-todo-mundo-por-um-ideal-a-arte

Escrito por Emerson Azevedo

Padrão

Vandaluz Mostra Espetáculo Único no Under Tribus


O grupo Vandaluz surgiu em Patos de Minas (MG) impulsionado pelo desejo de livre expressão, produzindo um rock performático repleto de psicodelia e influências setentistas da música popular brasileira. Desde quando foi lançado o primeiro álbum de estúdio, intitulado Ascende (2007), são muitas as participações em festivais importantes, como as edições do Grito Rock realizadas em Belo Horizonte, Uberlândia, Itabirito, Cuiabá, Brasília, Poços de Caldas, São Carlos e a própria cidade natal.
Em 2011, a banda dá continuidade ao ritmo de shows ao se lançar em uma turnê chamada “Afago a Fogo”. A excursão começa em território local e passa por dez municípios nordestinos – incluindo Feira de Santana, onde o espetáculo poético, musical e teatral promete fazer sucesso com seu estilo diversificado e de linguagens convergentes. Ouvir o que fica disponível no MySpace, por exemplo, certamente não é garantia de conhecer as dimensões da apresentação ao vivo.

Em meio à boa quantidade de canções autorais, “Lucidez” (para a qual foi gravado um videoclipe recentemente) e “Teoria” costumam atrair as plateias à proporção que representam a mistura dos mineiros. Algumas das características mais perceptíveis estão nos versos pouco usuais, vocais propositalmente desregrados, instrumental atualizado e ao mesmo tempo saudosista, ou seja, em processo de releitura.
Vandaluz é formado por Lucas de Paula (guitarra e vocal), Cassim Amperes (voz e gaita), Vane Pimentel (voz e poemas), Alan Delay (baixo) e Ciro Nunes (bateria, flauta, samplers e vocal). Sem abrir mão de uma atitude poética nos palcos, muito menos da musicalidade que independe do lado visual, o quinteto avesso a rótulos se apresenta na segunda edição do Under Tribus, marcada para o dia 24 de julho, às 17h, no Botekim Tematic Bar. Ao que tudo indica, será uma experiência única.
Texto por Ana Clara Teixeira – Feira Coletivo Cultural

Padrão

Under Tribus 2 tá Chegando!


Dia 24 de julho (domingo) acontecerá a segunda edição do Under Tribus, a mistura inusitada que virou sucesso. Dança, Música, Poesia e Artes Visuais vão se encontrar no mesmo palco, animando o domingo.
Realizado pela Trupe Mandhala Fusion, grupo experimental de Dança Étnica Contemporânea e pelo Feira Coletivo Cultural, o Under Tribus faz parte do Projeto Impulso, que visa demonstrar como a dança pode interagir com diversas formas de expressão artística.

Programação

Bandas

Casa de Vento (Feira de Santana)
Lunata (Salvador)
Vandaluz (Minas Gerais)

Dança
Trupe Mandhala Fusion – Dança Étnica Contemporânea
Academia Arte de Dançar – Ballet Moderno
Jefi Akenaton – Funceb – Dança Contemporânea
João Victor – Dança Afro
Shanna Lobo – Fusões
Bruno Lil Rox – Street Dance
Grupo Urban Style – Street Dance

E mais
Exibição de Curtas com Márcio Junqueira
Recital Poético Coleção Nova Letra – Ederval Fernandes
Expositores: Leiti Kitai Ateliê Tribal | Banquinha Fora do Eixo

UNDER TRIBUS
Dia 24/07/11 | 17 horas | Botekim Tematic Bar – Av. João Durval Carneiro
Ingresso: R$ 10,00 (Loja Dance Shopping das Fábricas, Botekim e com a Trupe Mandhala)