Página 1
Padrão

Feira Coletivo apresenta Anelis Assumpção

Show da cantora paulista acontece dia 1º de agosto e conta com abertura de Giovani Cidreira (Salvador) e Sergio Magno (Feira de Santana)

ANELIS

Pela primeira vez em Feira de Santana, a cantora paulista Anelis Assumpção leva o show da sua turnê Amigos Imaginários ao Antiquario Pub no dia 1º de agosto de 2015 (sábado), a partir das 22h. A noite conta ainda com show de abertura de Giovani Cidreira e Sergio Magno. Os ingressos antecipados custam R$20.

Considerada um dos grandes nomes da nova MPB, Anelis lançou em 2014 seu segundo disco em carreira solo, “Anelis Assumpção e os Amigos Imaginários”, pelo qual já ganhou alguns prêmios e já circulou por diversas cidades do Brasil. Anelis é filha do grande compositor paulistano Itamar Assumpção, e vem trilhando sua carreira independente do nome do pai, com seu estilo voltado pra MPB com fortes traços da blackmusic.

O trabalho foi produzido pela cantora e pelos músicos Bruno Buarque, Cris Scabello, MAU e Zé Nigro. Uma produção coletiva e certeira que é sentida sutilmente na assinatura individual de cada um. Não pra menos, eles fazem parte da banda que acompanha Anelis desde o começo de sua carreira solo e que agora dá nome ao disco: ‘Anelis Assumpção e os Amigos Imaginários’.

Além dos rapazes, a banda conta com a guitarrista Lelena Anhaia e o trombonista Edy Trombone. Essa liga coesa entre pessoas que tem intimidade e compatibilidade sonora e gentileza poética para transitar entre os versos e frases sugeridas por Anelis, fazem a diferença absoluta para a sonoridade do disco. Eles se completam. Anelis e seu bando trocam fluidos a cada frame canção. E se divertem. Um disco de bando. Um som de banda.

Sobre Giovani Cidreira


giovani_por-ana-camila-1_header1

O soteropolitano Giovani Cidreira iniciou sua carreira musical em 2006, como vocalista da banda Velotroz. Desde então, desenvolveu seu trabalho como compositor e arranjador, que tem como base um híbrido de rock contemporâneo com claras influências da música popular brasileira dos anos setenta, além de sonoridades contemporâneas das mais diversas localidades.

Seu trabalho, essencialmente autobiográfico, dialoga diretamente com a literatura, o audiovisual e as artes visuais, mesclando os elementos culturais diversificados que compõem o seu repertório.

Em novembro de 2014, Giovani Cidreira lançou o primeiro registro de suas canções como artista solo. Produzido no Estúdio Caverna do Som, o EP apresenta sete faixas, entre as quais “Ancohuma”, premiada como melhor música com letra pelo XII Festival de Música da Educadora FM. O disco está disponível no site: www.giovanicidreira.com

Sobre Sergio Magno

SM 2

Sergio Magno é um artista da MPB, mas essa é apenas uma classificação, não é um limite. Suas músicas versam sobre a simplicidade do cotidiano, vivências e sobre o amor em todas as suas manifestações. Lançou seu primeiro EP em 2007, quase um acústico, fruto da vontade de registrar o que só os amigos e os bares da cidade (a essa altura, Araci) conheciam. Em 2011 lançou o EP “À Moda Antiga”, quando já morava em Feira de Santana. Nos anos de 2012 e 2013 iniciou parceria com a Unidade de Guerrilha (rap), Clube de Patifes (blues/rock) e foi convidado para participar de um projeto especial com um dos mais respeitados músicos feirenses, Dionorina. Atualmente ele trabalha na produção do seu primeiro fulllenght, do qual o single “Quis”, lançado no início de 2014, faz parte. O álbum já tem nome, “O Que Restou das Aulas de Violão”, exatamente aquelas da adolescência.

SERVIÇO

Feira Coletivo apresenta Anelis Assumpçãoe os Amigos Imaginários

Abertura: Giovani Cidreira (Salvador) e Sergio Magno (Feira de Santana)

Dia 1º de agosto de 2015 (sábado), às 22h

Antiquário Pub

Ingressos antecipado: R$20

Padrão

WADO PELA PRIMEIRA VEZ EM FEIRA DE SANTANA

10629840_786558651396424_2516285917444346566_n

Feira de Santana receberá no próximo sábado (20), o cantor e compositor  alagoano Wado, pela primeira vez, com o show de divulgação do seu mais recente trabalho, Vazio Tropical, produzido pelo Hermano Marcelo Camelo lançado em 2013.   O show faz parte da programação do FERVURA FEIRA NOISE, evento de aquecimento para o Feira Noise Festival que acontece em Novembro. Nesta edição, além de Wado teremos uma das bandas mais ativas e promissoras do interior baiano, o powertrio juazeirense Sanitário Sexy e os feirenses da banda OS2, grupo que ressurgiu na cena em 2012 formado por Mazinho Diniz (guitarra e vocal), Thiago Mattos (guitarra), Filipe Pimenta (baixo) e Victor Martins (bateria) e que faz um som que passeia entre o Rock’n’Roll e o Ska com grande dedicação ao trabalho autoral.

SERVIÇO:

Fervura Feira Noise

Local: Antiquário Pub

Data: 20 de Setembro

Horário: 21:00h

Atrações: Wado, Sanitário Sexy e Bando OS2

Ingresso antecipado: R$ 20,00

Padrão

Erasy: tributo stoner às origens do metal

1966680_826322754049983_2091650584_n

O stoner tem sido o caminho mais adotado por aqueles que buscam evocar o rock clássico setentista e seus principais herdeiros surgidos nas décadas seguintes. É o que estabelece ligação, por exemplo, entre os ucranianos do Stoned Jesus, os suecos do Asteroid, os norte-americanos do Orchid, os italianos do Black Capricorn, os canadenses do Blood Ceremony, os brasileiros do Black Drawning Chalks e outros grupos espalhados pelo mundo afora, apesar de soarem pouco parecidas entre si. Aproveitando-se das muitas combinações possíveis de estilos, as bandas podem se associar ao heavy metal tradicional, ao doom, ao sludge, à psicodelia ou mesmo ao southern rock, mas mantendo a característica de riffs pegajosos e bateria repetitiva.

Em Feira de Santana, a tendência já não chega a ser uma novidade. Além da Novelta, banda com canções autorais que realizou vários shows na cidade em 2013, existem também os interessados que acompanham lançamentos, trocam indicações e, portanto, ao menos já formam um pequeno público. O cenário nunca esteve tão propício ao stoner, tornando natural e até necessário o aparecimento de mais um nome dentro da proposta: a Erasy, composta por Luciano Penelu (voz), Wendell Fernandes (guitarra), Leandro de Carvalho (guitarra), Joilson Santos (baixo) e Alan Magalhães (bateria).

Segundo Penelu, a Erasy é uma banda criada por amigos que se reúnem para beber e conversar sobre música, com o objetivo maior de incrementar esses encontros. “Sempre estivemos envolvidos individualmente em outras bandas, mas nunca tocamos juntos”, explica, referindo-se ao fato de ele próprio e Leandro serem membros da Goddamn Electric (cover do Pantera), Wendell integrar a Novelta, Joilson tocar no Clube de Patifes e Alan fazer parte da Metalwar, todas bem conhecidas na cena feirense. A ideia do quinteto é fazer algo sem grandes pretensões, um tipo de homenagem ao Black Sabbath numa linha doom/ stoner/ sludge.

Assim, enquanto a Novelta se apega a referências mais recentes, como as bandas de Josh Homme e o Fu Manchu, a Erasy tira sua sonoridade da década de 70, sem medo de escancarar a influência de Tony Iommi. Sua conexão com os anos 90 ocorre somente pelos vocais, que remete ao de Phil Anselmo em certos momentos do Reinventing the Steel – por sinal, o álbum em que o Pantera mais chega perto do som sabbathiano – e, às vezes, ao de Kirk Windstein, do Crowbar. No instrumental, a predominância das raízes do heavy metal é quase absoluta, como ocorre nos trabalhos de Electric Wizard, Church of Misery e Goatsnake, por exemplo.

De acordo com Joilson, a banda deve lançar nos próximos meses dois singles e um vídeo ao vivo em estúdio. As três primeiras gravações que ouvi da banda, ainda sem o acabamento ideal, me proporcionaram uma noção do que estava por vir, consistindo em duas composições autorais e uma versão mais sombria de “Hole in the Sky”, clássico da era Ozzy. Escutando Hallows, a primeira coisa que notamos é a semelhança com a fase inicial do Pentagram, a de “When the Screams Come”, “Review Your Choices” e outras músicas com a mesma pegada. Quanto a “Living Hell”, é indiscutível que o riff de A National Acrobat, do Sabbath Bloody Sabbath, serve de inspiração. Ambas as inéditas seguem estritamente a fórmula deixada pelo Black Sabbath para as bandas de doom, isto é, apenas na parte final apresentam alguma alteração na lentidão do ritmo.

 “Não há mistério em nosso jeito de fazer metal: é o mais simples, arrastado e pesado que podemos executar enquanto bebemos e balançamos a cabeça”, diz Penelu. Com essa definição tão simples quanto suficiente, escrever mais sobre a Erasy e sua cadência hipnótica seria um erro. Caberá a cada ouvinte, a partir de agora, perceber a honestidade com que os elementos são articulados e seu resultado diante de uma plateia.

E a Erasy lançou seu primeiro single, Living Hell, música inaugural gravada no Evolution Studio e Mixada por Jera Cravo.

Autor – Ana Clara Teixeira

Padrão

Noite Fora do Eixo agita a cidade na véspera do feriado

998720_573121112740180_380927578_n

Na véspera do feriadão, o Botekim será palco de mais um encontro da música independente. As feirenses Tangerina Jones, Sal Art e Bando Catavento vão dividir o palco com a soteropolitana Scambo em um show inesquecível.

Perto de fazer apenas 2 anos, a Tangerina Jones é um dos principais nomes da nova safra de bandas autorais da cidade. Em pouco tempo de atividade a banda já participou de importantes eventos dentro e fora de Feira de Santana  e já tem cara de que vai ganhar o mundo. Os caras tem um som consistente e o vocal conduz o show de forma visceral, bem como se fazia no rock antigamente. Com certeza não dá pra perder!

Outra promessa da cidade é o grupo Sal Art, que se apresenta pela primeira vez em uma Noite Fora do Eixo. Apesar do pouco tempo de formação, o grupo lançou um álbum recentemente e faz um trabalho que abraça a sonoridade experimental, com influências que dialogam com o universo da livre criação.

Também estreando na Noite Fora do Eixo teremos o Bando Catavento, trazendo um trabalho autoral cheio de influências do que há de melhor na música popular do nordeste como Zé Ramalho, Alceu Valença, Luiz Gonzaga, entre outros gigantes.

Comandada por Pedro Pondé, a Scambo é um dos nomes mais representativos da nova geração da música na Bahia. Em seu primeiro show do ano de 2013 em Feira, a banda promete reunir seu público fiel para apresentar seu repertório de sucesso, que inclui as canções do CD mais recente da banda, o Flare.

Outra atração da noite é a nossa Banquinha, descoladíssima como sempre, trazendo as novidades da cena independente pra você conhecer.

O esquema é aquele de sempre, confirme presença, convide a galera e curta o som!  http://bit.ly/NForadoEixo

 

SERVIÇO

O quê: Noite Fora do Eixo

Quando: Quinta, 25/07

Onde: Botekim Tematic Bar – Av. João Durval Carneiro 2963 – Ponto Central

Quanto: R$ 15,00 (antecipado no balcão do Boulevard) Ingresso Limitado

 

Facebook

Sal Art

Tangerina Jones

Bando Catavento

Scambo

Padrão

Nesta sexta acontece a 4ª edição do Metalized Nights

860576_247267242076704_877361965_o

 

Dia de semana em Feira também é dia de Metal. Nesta sexta-feira, 15/03, acontecerá a quarta edição do Metalized Nights no Offsina Music Lounge. Todo headbanger sabe que cena forte é cena unida, e o Metalized Nights, trazendo nesta edição o trash oitentista da Flagelador, pela primeira vez em Feira, e mais dois ícones do metal baiano, Martyrdom e Metalwar, vem fortalecer o cenário metal na cidade unindo este público em um show inesquecível.

Em um segmento distinto das demais bandas locais, e focando no estilo Power Metal, a feirense Metalwar se inspira em bandas como Judas Priest, Iron Maiden, Rainbow, Riot, entre outras, levando o metal feirense para os palcos de toda a Bahia há mais de 8 anos. Com um repertório nervoso, eles vão agitar a noite de sexta com seu som tradicional, sem teclados, sem baladas e alucinado.

Outra feirense a se apresenta no show será a Martyrdom, que faz questão de mostrar que tem um som livre de modismos e de influências musicais tendenciosas, como eles mesmos dizem. Com suas composições mórbidas e sombrias, a banda vai trazer o melhor do Death/Doom para as almas macabras que vagam pela madrugada.

E o mais esperado da noite é o som absurdamente insano da Flagelador, com seu trash oitentista trabalhado em mais de 10 anos de estrada. A banda vai trazer em seu set list sucessos como Total Danação, Expresso para o Inferno (faixas do split mais recente – Guerreiros do Álcool), Obcecados por Sangue, Cruzada ao lado de Satã, entre outros.

Há uma verdadeira legião de guerreiros dispostos a manter acesa a chama do metal. Se você é um deles, não vai perder este show.

 

O quê: Metalized Nights 4

Quando: 15/03/13

Horário: 20h

Onde: Offsina Music Lounge – Rua Dr. Sabino Silva, 96 – Centro, Feira de Santana/BA (Próximo ao Colégio Castro Alves)

Quanto: R$ 15,00 (no local)

 

Bandas:

Flagelador (RJ) – Myspace | Facebook

Martyrdom (FSA) – Myspace | Blog

Metalwar (FSA) – Blog | Facebook  

 

 

Confirme sua presença no evento:

www.facebook.com/events/404036306359452/?fref=ts

 

 

Padrão

Fervura aquece a cidade para o Feira Noise

Clique para ver a imagem maior.

Quando o aquecimento é bom, vira Fervura. É com esse argumento que o Feira Coletivo realiza no próximo dia 31, a partir das 22h, o Fervura Feira Noise, evento que prepara a cidade para o Feira Noise Festival trazendo as bandas Calafrio, Damm e a Formidável Família Musical e Irmão Carlos e o Catado.
As atrações, como sempre, são bandas do cenário independente local e nacional. Uma delas é a feirense Calafrio, que se destaca pela qualidade de suas composições acompanhadas de melodias fortemente influenciadas pelo rock dos anos 90. Tem um EP lançado – intitulado “Para Ambos os Lábios” – e público fiel que acompanha em coro sucessos com “Valet”, “A+B” e “Ácido”. Depois de ficar afastada dos palcos durante alguns anos, voltou em 2011 com shows memoráveis e promete novidades para o Fervura, o que gera grande expectativa para sua apresentação.
Com o seu novo show “As suspicazes melodias de E. Damm”, o cantor, compositor e instrumentista Damm volta a Feira de Santana com sua Formidável Família Musical. Canções inéditas de seu trabalho mais recente compõem o repertório junto com queridinhas do público como “O bem sempre vence no final”. Saiba mais sobre a banda clicando aqui.
Letras inspiradas na poesia concretista, performances irreverentes e muito experimentalismo. Tudo isso se une à black music, ao rock’n’roll e à psicodelia para formar a Irmão Carlos e o Catado, banda que vem de Salvador e desde 2003 movimenta o cenário baiano com sua percussão marcante composta pelos mais inesperados objetos. O grupo, que já participou de festivais importantes dentro e fora da Bahia, tem dois CD’s gravados e está em turnê nacional apresentando o último deles, “Agora é Agora, Depois é Depois”. A atração fecha a grade deste Fervura, o primeiro de vários outros eventos agendados até o Feira Noise.
E para conhecer mais trabalhos produzidos por artistas independentes Brasil afora, o público também é convidado a passar na Banquinha Fora do Eixo, que está sempre presente nos eventos do Feira Coletivo com seu catálogo constantemente atualizado.
Serviço

O quê: Fervura Feira Noise
Quando: 31 de março
Onde: Botekim Tematic Bar (Av. João Durval, 2963 – Ponto Central)
Quanto: R$15 na portaria | R$10 na lista amiga disponível aqui (Lista Amiga)

Padrão

Lunata traz suas Fases para o Palco Feirense


Formada em Salvador no final de 2009 e já com um lançamento de estúdio no currículo, a banda Lunata é um verdadeiro mistério. A começar pelo nome sugestivo, que aponta para várias direções e não permite conclusões óbvias, e a se confirmar pela sonoridade eclética. Ouvindo as composições próprias divulgadas até o momento, fica a sensação de que cada pessoa pode avaliar de maneira diferente as inúmeras referências musicais e extramusicais notadas em todas elas.

Mas nada disso significa que esteja faltando identidade à Lunata. O EP Não Esquece o Guarda-Sol, lançado em março deste ano, tem a seu favor a produção certeira e sem excessos de Jorge Solovera. O equilíbrio segue através das quatro faixas do trabalho – “Nós”, “Rocco”, “De Manhã” e “Patternele” –, nas quais não se percebe nenhuma ânsia de soar experimental a qualquer custo. Sobretudo na cativante “Nós” e na lúgubre “Rocco”, a semelhança com outros grupos alternativos que mesclam o rock à MPB é notória, porém ambas se mantêm longe daquela pretensão importuna comum à maioria.

É com essa postura espontânea e cuidadosa, à beira de uma justa medida, que o quinteto assinala suas peculiaridades. Ju Moreira (voz), Gus Carvalho (guitarra e voz), Fred Luna (baixo), Filipe Costa (bateria) e Guga Guanaes (teclado) erram pouco, efetivamente, e acertam na alternância dos vocais, nas quebras rítmicas próximas do jazz, na suavidade pop e nas letras meditativas sobre individualidade, relações a dois e paisagens. Não há lugar para angústias exageradas, pois a música se caracteriza pela leveza constante.

Desconhecida de grande parte do público de Feira de Santana, a Lunata vem pela primeira vez à cidade como uma das bandas participantes da segunda edição do Under Tribus, que acontece no dia 24 de julho, a partir das 17h, no Botekim Tematic Bar. A maior expectativa, se não deve girar em torno de um show de rock típico, resume-se em conferir a qualidade dessa revelação baiana merecedora das atenções gerais de daqui por diante.

Texto por Ana Clara Teixeira – Feira Coletivo Cultural

Links da banda:

Myspace | Twitter | Facebook

Padrão

Turnê da Banda Vandaluz passa por Feira em Julho

Em julho, a banda mineira de Patos de Minas, Vandaluz, fará sua primeira turnê de 2011, que iniciará em Minas Gerais e vai até o Nordeste, onde se apresentará em dez cidades.
A turnê intitulada Afago a Fogo, mostra uma banda marcada por seu show performático e com expressiva dramaticidade, mesclando atitudes críticas com a irreverência de “pop star”, segundo descreve a própria banda.

CONHEÇA A VANDALUZ

A música brasileira tem um jeito peculiar de ser recriada, parte do todo, se mistura na MPB, e acaba sendo sempre música brasileira. Sua arte mescla uma ginga sem igual, embebe-se na poesia, e liricamente se dispõe com humor e bravura para o dia-a-dia dos músicos e do público.

De forma diver¬tida e poética, Vandaluz nasceu de conteúdo livre e crítico, valores que a banda acredita serem indispensáveis para a satisfação de sua arte. Com uma maneira par¬ticular de ver a música brasileira, a banda conduz seu trabalho de apelo reflexivo na intenção de estimular a liberdade de fazer arte com alegria e com responsabili¬dade.

Seu show é uma performance, com figurinos variados beirando as artes dramáticas dos palcos, mesclando atitude crítica com irreverência pop star. O poeta Vane conduz os músicos irmãos que compartilham o palco itinerante pelo mundo como se fosse uma van de luminosidade.

No trajeto, gravações e mais de uma centena de shows referentes ao primeiro CD, gravado no final de 2007, intitulado “Ascende”. A partir de então Vandaluz levou sua luz coletiva a várias cidades do Brasil, em festivais como: Jambolada 2007 e 2008 (Uberlândia); Projeto Geringonça Sesc Tijuca (Rio de Janeiro – 2008); Demo Sul 2008 (Londrina), Festival integrado Grito Rock América do Sul.

Em 2010 lançou seu primeiro vídeo clipe, intitulado Lucidez, veiculado na programação da “MTV”. Recentemente ganhou o prêmio PNUD em parceria com a ONU “Valores Fora do Eixo”, com a música Teoria.

A banda é formada por: Lucas de Paula (guitarra e vocal), Vane Pimentel (voz e poemas), Alan Delay (baixo) e Ciro Nunes (bateria, flauta, samplers e vocal).

Uma grande sonoridade construída na poética dos profissionais da música apresentada em corpo teatral – seja o palco que for. Uma garantia de abstrair a mente, tirando os pés do chão, sem perder a sanidade.

E essa grande banda vai trazer a sua turnê “Afago a Fogo” para Feira de Santana.

O QUE? Under Tribus
QUANDO? 24/07
ONDE? Botekim Tematic Bar
HORÁRIO 17h
Padrão

Damm e a Formidável Família Musical em Feira de Santana

Com quase 10 anos de estrada Damm é um artista que vem construindo sua própria perspectiva da cena musical nacional.

Agora de volta a Bahia após enumeras apresentações nos principais festivais nacionais como o Festival de Verão (BA), Bota pra Tocar (RJ) e outros eventos pelo Brasil a fora, este artista chega despontando como a grande promessa para oxigenar a MPB.

Com uma sonoridade cosmopolita e um discurso abrangente, Damm é acompanhado por um coletivo de músicos batizado como a Formidável Família Musical, que dirigidos por ele mesmo, conta com instrumetistas de diversas regiões do Brasil, que o ajudam a transitar com canções e ritmos inusitados.

Seu trabalho foi premiado diversas vezes e nos ultimos 5 anos vem sendo citado pela critica especializada em publicações como a Revista Bravo!, Rolling Stones e Show Bizz como: “A esperança do Pop”, ou ainda “Uma luz no túnel da nossa MPB”.

Tem se apresentado junto a grandes artistas como Titãs, Jota Quest, Nando Reis, agraciando o público com sua música leve, alegre e acima de tudo criando um verdadeiro pano de fundo para tudo o que nos diz respeito, como o amor, o ego e a solidão da vida moderna.

Atualmente em Turnê de divulgação do seu novo CD, lançado pela gravadora Oversonic Music e distribuído pela Tratore.

Damm e sua Formidável Família Musical se apresenta em Feira no próximo dia 16 de Julho em mais uma edição da Noite Fora do Eixo no Botekin Tematic Bar.

Serviço:

Show: Noite Fora do Eixo

Bandas: Formidável Família Musical e Johnny Tonky e os Iguanas

Local: Botekin Tematic Bar – Av. João Durval , 2963

Ingressos à venda no local: R$ 10,00


Agenda –

14/07 – Vitória da Conquista – Noite fora do eixo

15/07 – Jequié

16/07 – Feira de Santana

24/07 – Salvador – Groove Bar

Damm e a Formidável Família Musical na web:

Facebook – http://www.facebook.com/dammtunes

Twitter – http://twitter.com/dammtunes

Site – www.dammtunes.com

Melody Box – http://www.melodybox.com.br/dammeffm

Padrão

Como foi o EletroAcústico? | 30 de Junho

Como já vinhamos divulgando Feira de santana está realmente mudando a sua cena cultural, com toda essa movimentação de artista da música, dança, teatro e artes visuais. Isso foi comprovado mais uma vez na noite de quinta-feira 30 de junho no Amélio amorim, onde aconteceu o projeto Eletro Acústico. Projeto esse que contou com o apoio e organização do Feira coletivo, ArtBrasil e a Trupe Mandhala Fusion.
Devemos salientar que esta iniciativa de promover cultura aqui na cidade está levando Feira de Santana a um momento ímpar na sua recente história cultural, fomentando assim a necessidade local por manifestação cultural. Levando em conta o público cada vez mais presente aos eventos deve se observar a real busca por opções de trabalhos com cultura envolvida.
Mas vamos ao que interessa. A noite de quinta-feira foi iniciada com a mostra dos trabalhos do artista Iuri Siqueira, que traz traços belíssimos em estilos de desenhos variados, trabalhos de muito bom gosto e com um esmero aparente, o público pôde conferir a riqueza de detalhes em suas obras expostas no foyer do centro de cultura.
Já passava das 20:00 quando a banda feirense CASA DE VENTO iniciava a sua apresentação com a música autoral chamada “Morangos mofados” o público que já estava acomodado no teatro conferiu o som empolgante das canções do grupo que vem fazendo um tipo de música com letras bem sinceras e com arranjos bem ao estilo rock inglês. Deixando os que alí estavam presentes à vontade para cantarolar a canção “O mistério das cinco estrelas”. A banda apresentou uma música nova chamada ” A outra volta” que é muito animada e soa bem aos ouvidos.
Logo após o show da CASA DE VENTO pudemos Mais uma vez conferir a banda soteropolitana NEOLOGIA que nos mostrou a sua maneira singular de fazer MPB, POP E ROCK, a banda que tem em seus pontos fortes o entrosamento de seus músicos, executou canções com alto nível guiados pela voz suave e encantadora de sua vocalista, trouxeram para os presentes músicas como “Não negue não” canção autoral que já é bastante conhecida do público, que aplaudiu o modo peculiar da banda na execução da música “carnavália” do “TRIBALISTAS”.
A NEOLOGIA vem se destacando no cenário musical baiano com apresentações cada vez mais disputadas, devido a sua dedicação em fazer um som impecável.
Nos relógios marcavam 22:30 quando sobe ao palco do Amélio Amorin a banda gaúcha DIVINA VOX, e logo de cara mostrou ao que veio, um som marcado por riff´s de guitarra fortes e seguros do vocalista Jeferson Vargas. Som pesado e com letras marcantes a banda tem em seu estilo a atitude do rock´n roll e ponto. Apresentaram para o público feirense a sua música de trabalho “Válvula de escape” que está no seu álbum “Bipolar”.
Nota-se várias influências ao ouvir o som da banda dentre elas destacam-se o estilo “Grunge” levando em conta também o vocalista que toca com sua guitarra canhota. Foram muito bem aceitos pelo público presente e mandaram a sua versão da música “Creep” do grupo inglês Radiohead. Banda muito coesa e intensa no palco, e terminaram por conquistar a platéia com o cover da música “No one knows” da banda Queens of the stone Age. Despediram-se de Feira de Santana com um gostinho de quero mais. Fiquem ligados aos próximos eventos do Feira coletivo, esse ano ainda vai rolar muita coia boa.

Por Filipe Figueiredo